Defensoria cobra R$ 15 mi da Sefaz

Valor foi aprovado por meio de emenda, depois vetado pelo governador, mas o veto foi derrubado pelos deputados

(Foto: Assessoria)

O defensor público-geral de Mato Grosso, Clodoaldo Queiroz, cobra o repasse de R$ 15 milhões pela Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz-MT).

A receita foi aprovada em fevereiro pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que derrubou veto do governador Mauro Mendes (DEM) à Lei Orçamentária Anual (LOA).

Apesar disso, os valores ainda não foram disponibilizados à Defensoria, que teve um corte de 70% na receita para custeio, que baixou de R$ 38 milhões em 2019 para R$ 12 milhões este ano.

Na última semana, uma portaria foi publicada pelo órgão para garantir a contenção de gastos, e com isso foram vedados pagamentos de diárias, redução no consumo de combustíveis, redução no horário de funcionamento, renegociação de contratos com fornecedores e a proibição de contratação de novos serviços.

O que diz a Sefaz?

Em nota, a Sefaz esclareceu que existem obstáculos de ordem legal, contábil e técnica para a implementação da emenda ao orçamento no valor de R$ 15 milhões.

“Há resolução de consulta do TCE que impede o Poder Executivo de implementar a emenda do modo que foi aprovada. O governo de Mato Grosso continua aberto ao diálogo para encontrar o melhor caminho para a Defensoria Pública”, pontua.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitura quer dar poder de fiscal a servidores para permitir aplicação de multa-coronavírus
Próximo artigoBebê de 8 meses está entre vítimas fatais da covid-19 em MT; Estado tem 32 mortes

O LIVRE ADS