Mulher denuncia síndico evangélico por discriminação

O síndico a chama de feiticeira e constantemente “implica” com ela por motivos religiosos

Uma mulher de 59 anos registrou um boletim de ocorrência contra o síndico de seu prédio, localizado no Bairro Imperador, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), afirmando que estaria sendo vítima de perseguição religiosa.

Conforme o boletim de ocorrência, registrado na quinta-feira (07), o homem sempre “implica” com a mulher, que é de uma religião de matriz africana. A última discussão teria ocorrido por conta de um canteiro de flores que ela mantém no entorno de seu apartamento, que fica no piso térreo.

Segundo a vítima, o síndico, que é evangélico, ordenou que ela arrancasse as plantas, acusando a mesma de ter feito um santuário, de estar usando ervas e de ser feiticeira.

Já sem suportar as constantes críticas, segundo a vítima, por conta da sua religiosidade, ela registrou um boletim de ocorrência acusando o síndico de “perturbação da tranquilidade alheia” e “praticar, induzir, ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

  1. Está certíssima, eu faria o mesmo, respeito é bom e todo mundo gosta, não tem q impor nada a ninguém e nem julgar as pessoas por suas escolhas. Muita falta do que fazer esse síndico, ao inves de perseguir a moça, espalhe o amor, a caridade, a fraternidade, ate porque a bíblia ensina amar o próximo. Pessoas cada vez mais intolerantes, achando ser donos da verdade e querendo as impor guéla abaixo a todo custo.

  2. Eu sinceramente fico sem entender essas Pessoas que dizem ser evangélico , vivem dizendo que tem intimidade com Jesus e com as suas escritas (Bíblia), pergunta se, onde Jesus deixou escrito que esse senhor tem autoridade para esses algum poder religioso ou classificar ações de pessoas, até onde eu sei Jesus não deixou procuração pra ninguém , Jesus durante a sua vida nunca humilhou ninguém e nem executou ninguém por cultivar plantas. Senhora procure o conselho de igualdade racial em Várzea Grande, para ajudar na sua defesa, esse senhor não tem o direito de fazer nada contra a senhoras, nos atuais tempos, não podemos permitir que ações dessa natureza nos proíba e viver e cultivar oq acreditamos, nós somos filhos Deus e não devemos temer absolutamente nada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno reduz tarifa de importação de sardinha a zero por um ano
Próximo artigoAcademia de Letras homenageia Virginia Mendes