De olho no orçamento: Procon alerta consumidores sobre compras por impulso

Em tempos de crise, é bom ficar atento para evitar o endividamento, que pode trazer problemas financeiros e psicológicos no futuro

EBC

Com intuito de gerar empregos e aquecer as vendas no varejo, a 3ª edição da Semana do Brasil inicia nesta sexta (03) e vai até segunda-feira (13), oferecendo descontos em produtos de até 70%. Pensando nisso, o Procon Estadual recomenda alguns cuidados aos consumidores na hora de fazer as compras, sobretudo para evitar agir por impulso.

Para o professor de psicologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Renan Pereira Monteiro, a impulsividade nestes momentos pode acarretar, além de um possível endividamento, consequências psicológicas crônicas e patológicas.

“A compra por impulso prediz a ansiedade e a compra compulsiva. A propósito, a compra por impulso pode gerar um descontrole emocional por conta do conflito entre a recompensa imediata e as consequências negativas que a compra pode originar, o que pode resultar em comportamentos compulsivos que podem se tornar crônicos e patológicos”, afirma.

Segundo ele, vários fatores podem levar alguém a comprar por impulso. Monteiro elenca as variáveis, citando estudiosos da área como Lins, Poeschl e Eberhardt (2016), e se dividem em sociodemográficas (gênero e renda); práticas sociais (pessoas que tendem a comprar por impulso em shoppings); variáveis de consumo (desejo de gratificação e prazer ao comprar); influência grupal (pessoas que tendem a comprar impulsivamente quando estão acompanhadas).

Marcelo Camargo/Agência Brasil/EBC

Apesar dos valores atrativos das mercadorias, Monteiro ressalta que a personalidade também pode influenciar nessa equação. “Além de características de personalidade, como o narcisismo, que descreve pessoas materialistas e impulsivas, há também o traço da instabilidade emocional”, acrescenta.

Como evitar gastar o que não pode

Afinal, como remediar essas situações? o professor esclarece que para escapar deste impulso, é recomendável fortalecer o autocontrole, com a prática de exercícios físicos e do hábito de listar os itens que pretende comprar. “Portanto, exercitar o autocontrole diariamente e fazer listas de compras podem ser alternativas que auxiliem na redução da compra por impulso”, conclui.

As orientações remetem à lei federal 14.181/21, sancionada em julho deste ano, sendo mais conhecida como a Lei do Superendividamento, que permite ao consumidor ter melhores condições de negociação de dívidas, proporcionando tanto sua recuperação financeira quanto o poder de compra, ocasionando um controle maior sobre suas contas e, também, consciência na hora de usar seus créditos.

O Procon Estadual relembra algumas dicas valiosas para ficar atento ao ir às compras durante a Semana do Brasil. Veja abaixo:

1. Planejamento

Defina antecipadamente o que deseja comprar e quanto pode gastar. Seja realista com seu orçamento para evitar se endividar. Se possível, faça uma pesquisa de preço e escolha com calma, verificando atentamente a qualidade da mercadoria.

2. Cuidado ao ir às compras

O consumidor deve ficar atento aos cuidados de biossegurança quando for até uma loja física. Lembre-se de usar máscara de forma adequada, respeitar o distanciamento social, higienizar as mãos com frequência ao entrar e sair dos estabelecimentos.

Ao realizar pagamento em dinheiro, se possível, separe o valor exato da compra para evitar o manuseio de outras cédulas. Caso seja por cartão, é preferível que só o consumidor tenha contato com o cartão e logo depois o higienize.

3. Produtos e mostruário e em promoção

Se optar por comprar artigos em promoção ou de mostruário, solicite que as condições do produto e as condições de troca sejam especificadas na nota fiscal. O fato de o produto ter sido comprado em promoção, ou de mostruário, não permite ao lojista ou fabricante se negar a solucionar eventuais problemas.

4. Compras on-line

No ambiente on-line, o consumidor precisa ter mais atenção. Antes de realizar a compra, busque no site o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), endereço físico e canais de atendimento. Vale observar se há cobrança de frete ou outras taxas. Verifique se a conexão é segura para formalizar a compra com o cartão. Assim que concluir a compra, é recomendável imprimir ou salvar em seu computador a página do site com os dados.

5. Direito do arrependimento

É possível desistir da aquisição em até sete dias após a assinatura do contrato ou recebimento da mercadoria. O cancelamento deve ser solicitado por escrito. No ato da entrega, só assine o comprovante de recebimento do produto após examinar o estado da mercadoria. Havendo irregularidades, estas devem ser relacionadas no próprio documento, justificando assim o não recebimento.

6. Pagamento

Os comerciantes podem praticar preços diferenciados para pagamentos em dinheiro ou cartão de crédito ou débito. Entretanto, caso sejam oferecidos descontos em função da forma de pagamento e do prazo, o fornecedor é obrigado a informar, em local visível e de forma clara, os descontos oferecidos. Prefira sempre o pagamento à vista, pois assim é possível negociar descontos. Ao optar pelo parcelamento, tire todas as dúvidas sobre a periodicidade, número e valor das parcelas, taxa de juros ao mês e ao ano, encargos e o valor total a prazo.

7. Nota fiscal e garantia

Não se esqueça de exigir sempre o documento fiscal. Ele é que comprova a relação de consumo e será necessário para reclamar, caso haja algum problema com o produto. O prazo para reclamações é de 30 dias para produtos não duráveis (que se extinguem rapidamente com seu uso, como alimentos, por exemplo) e 90 dias para os bens duráveis (que tem consumo prolongado, como aparelhos celulares, geladeira, televisão).

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

8. Garantia estendida é um seguro

A conhecida garantia estendida é uma modalidade de seguro que pode ser contratada em diversos estabelecimentos, como lojas de eletrônicos, eletrodomésticos e até de veículos automotores. O objetivo deste seguro é estender a cobertura da garantia legal ou contratual do produto recém adquirido. No entanto, diversas lojas e seguradoras adotam práticas de venda questionáveis e comercializam apólices sem prestar todas as informações de forma clara e transparente ao consumidor.

9. Reclamações

Caso tenha algum problema na compra de produtos/serviços e não consiga resolver diretamente com o lojista, o consumidor pode procurar o Procon-MT para registrar sua reclamação. O atendimento presencial na sede do órgão deve ser agendado pelo WhatsApp (65) 99228-3098. O Procon-MT está localizado na Rua Baltazar Navarros, n. 567, esquina com a Av. General Vale (antigo Sine), Bairro Bandeirantes, Cuiabá (MT).

Outra opção é procurar os postos de atendimento do Procon Estadual:

  • Ganha Tempo da Praça Ipiranga (Cuiabá): das 08h às 17h, por agendamento via sistema da Seplag. Clique aqui.
  • No Centro Estadual de Cidadania, que fica dentro do Shopping de Várzea Grande : das 10h às 18h, por ordem de chegada.

Também é possível registrar sua reclamação pela plataforma www.consumidor.gov.br a qualquer hora do dia ou da noite. As principais lojas nacionais de varejo estão cadastradas no site e podem ser acionadas pelo consumidor sem ser preciso sair de casa.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPacha Ana lança disco love song com selo nacional Colmeia 22
Próximo artigoCuiabanos organizam ato para o dia 7 de setembro