De CPU a smartwatch: Polícia apreendeu dezena de eletrônicos em Operação Fake News

Aparelhos devem passar por varredura para a identificação de investigados com produção de informações caluniosas

(Foto: Polícia Civil)

A Polícia Civil apreendeu celulares, pen-drives, modens, CPU e tablets no cumprimento de mandados de busca na Operação Fake News, deflagrada na manhã desta terça-feira (14) em Cuiabá. 

Os eletrônicos são de três pessoas investigadas como suspeitas de produzir e divulgar informações falsas sobre políticos e empresários em Cuiabá.  

Os alvos da ação são o irmão do prefeito Emanuel Pinheiro, Marco Polo Pinheiro, o ex-assessor da Secretaria de Saúde, William Sidney Araújo de Moraes, e outro ex-servidor em endomarketing, cujo não ainda não foi revelado. 

A Delegacia Especializada e Repressão a Crimes Informáticos (DRCI) cumpriu seis mandados de busca e apreensão.

Em vídeo divulgado no fim da manhã pela Polícia Civil aparecem 12 smartphones, smartwatch digital (relógio de pulso conectado à internet), quatro pen-drives, quatro modens e uma CPU. 

Os eletrônicos devem passar por varredura de entrada e saída de arquivos e os dados poderão embasar inquérito em andamento pela Polícia Civil, sobre a criação e disseminação de informações falsas, “com objetivo de calúnias”, contra figuras públicas. 

A DRCI disse que a apuração feita até o momento conseguiu identificar o modo de operação de um grupo que agiria com fraudes no cadastro de números telefônicos em nome de terceiros e uso de perfis em redes sociais, também forma indireta, para produzir e divulgas as fake news. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDesmistificando a ansiedade
Próximo artigoPlanejamento sucessório