De “ciganinha” a cropped: abadás são especialidade de costureira do Shopping Popular

Claudivania Barbosa Neves, atua há 13 anos no ramo da customização de abadás

Celebra-se neste sábado (25 de maio) o “Dia da Costureira” e as tendências de customização se fortalecem por todo país – seja em festas e eventos, seja nas passarelas e na moda de rua. E abram alas para a criatividade e looks, não é mesmo? Para além das camisetas bem-humoradas, o abadá customizado continua imperando entre o público fashion. Mais do que um ingresso, o adereço conta com modelos variados e uma regra entre os adeptos: quanto mais diferente, melhor!

Conforme explica a costureira Claudivania Barbosa Neves, que atua há 13 anos no ramo da customização de abadás, o motivo pelo qual o público passou a investir nessa personalização é simples. “Eles se tornaram a realização de um sonho que, nós, costureiras, cedemos forma. As mulheres, principalmente, começaram a enxergar o mundo de possibilidades que uma camiseta simples poderia se tornar. E vira tanta coisa incrível”, comenta.

Claudivania ressalta que, assim como a moda em geral, os abadás também seguem tendências que caíram no gosto do público em prol de dar up no visual. “Em 2019, estamos observando a mescla com muitas cores neon. Isto, além dos brilhos, pedrarias e rendas clássicas. Entre os modelos, o estilo ‘ciganinha’ – de ombro a ombro – está fazendo sucesso. É feminino e fresco. Também pedem muito body (tipo maiô), blusa cropped e em formato vestido”, avalia.

Ao lado da filha, a também costureira Suelen Neves, Claudivania recebe incontáveis pedidos em sua oficina no Shopping Popular em Cuiabá. Entre linhas e agulhas, a costureira reforça que o público segue cada vez mais exigente, mas que nem sempre os interessados planejam o look com antecedência – algo que pode simbolizar o sucesso na transformação de um simples tecido em uma obra-prima.

“Já perdi as contas de quantos abadás passaram por aqui até agora. E esse número deve crescer no próximo mês por conta de uma conceituada festa em Chapada dos Guimarães. Como sempre, muitas pessoas vão deixar para última hora. Tanto que nos esforçamos para entregar o pedido até no mesmo dia em que foi solicitado. Mas, fica a dica: procure uma referência de modelo antes de ir até a costureira. Isso facilita o trabalho e dá mais agilidade”, pondera.

PANORAMA – Um relatório de negócios promissores do Sebrae, divulgado em 2018, apontou que o setor de confecção de roupas personalizadas está entre os de maior potencial de expansão/recuperação no mercado interno.

De acordo com o levantamento mais recente da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest), o país conta com cerca de 1,5 milhão de trabalhadoras e trabalhadores na área. O estudo ainda aponta que o setor chega a movimentar 4,5 bilhões de dólares a cada doze meses – o que torna a área uma das principais alavancas da indústria nacional.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSobremesas são carro-chefe de Festival do Chocolate no Sesi Papa
Próximo artigoMenos de R$ 1 milhão com aviação