Dá pra evitar fraudes em compras online? Confira dicas de segurança na Black Friday

Na internet estão as melhores ofertas e mais opções de produtos, mas também armadilhas montadas especialmente nessa época do ano

Imagem ilustrativa (Foto: Pixabay)

A pandemia de covid-19 aumentou a venda de produtos pela internet. O e-commerce se fortaleceu como opção diante das restrições de mobilidade. Tanto que uma pesquisa realizada pela Criteo revelou que 80% dos consumidores brasileiros continuarão comprando presentes e produtos para datas comemorativas pela internet.

Apesar da boa expectativa, outro levantamento realizado pelo Google constatou que, pelo menos, 40% dos consumidores têm receio de comprar algo remotamente.

Para superar o medo e evitar as fraudes, O LIVRE reproduz uma lista baseada em dicas do especialista em plataformas de e-commerce, Felipe Dellacqua.

1. Verifique se o site está em um servidor seguro

Parece papo de que trabalha com tecnologia da informação, mas é simples. Antes do endereço da loja, deve haver a sigla HTTPS, que quer dizer que o servidor é seguro e que todas as informações ali trafegadas são criptografadas. Fique atento!

2. Procure meios de pagamento conhecidos

Dê preferência a sites que utilizam meios de pagamentos reconhecidos como PayPal, Pagseguro, Mercado Pago. São empresas que oferecem mais segurança em relação ao consumidor.

No caso, por exemplo, de o lojista não entregar o pedido, o consumidor pode solicitar o pagamento de volta sem precisar entrar em contato com a loja.

3. Verifique informações sobre a loja no site

É obrigatório por lei que uma loja virtual tenha dados como razão social, endereço e CNPJ no rodapé do site. Sempre verifique a idoneidade da empresa com essas informações.

Se pesquisar pelo CNPJ da loja, poderá encontrar diversas informações sobre a empresa, inclusive processos ativos contra ela. Reclame Aqui e Ebit também são dois sites de consulta de histórico sobre a loja.

4. Fique atento ao design do e-commerce

Sites com poucos produtos, ofertas de produtos e lançamentos com preços duvidosos e com final apenas .com, tendem a ser empresas fantasmas, que captam o pagamento do consumidor e desligam a loja dias depois.

Se o site não possuir um CNPJ no rodapé ou um telefone de atendimento, além de ter essas características anteriores, evite comprar neles, pois pode acabar caindo em um golpe comum nessas épocas do ano.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAfinados com Trump
Próximo artigoFogo no Pantanal: ministro diz que é preciso já pensar em 2021