CUT sugere que trabalhadores parem de trabalhar, mesmo em home office

De acordo com a central de sindicatos, seria a hora de ficar em casa para impedir os avanços do coronavírus

(Foto: Agencia Brasil)

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) iniciou nesta quarta-feira (24) uma manifestação geral em defesa de um lockdown nacional. De acordo com a nota emitida pela CUT, a intenção é chamar a atenção do “povo brasileiro”.

Outros sindicatos menores e instituições de esquerda também aderiram à manifestação organizada pela CUT, como foi o caso das entidades Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Na nota, a Central diz que é importante não trabalhar para conter os avanços do vírus, mesmo que o trabalhador já esteja em home office.

“Hoje é dia de o trabalhador ficar em casa e não trabalhar, mesmo que esteja em home office”, diz um dos trechos do documento.

Mesmo sem grande adesão, a Central promete que serão feitos atos em defesa do Lockdown em todas as partes do Brasil.

“Serão feitas panfletagens em praças públicas, terminais de ônibus, trens e metrôs, carros de som com mensagens de alerta ao povo brasileiro; atos simbólicos; audiências públicas, além de carreatas e mobilização nas redes sociais”, afirma a nota.

Por fim, a nota ainda atribuí ao governo Bolsonaro e ao capitalismo as mortes geradas pelo virus chinês.

 “A falta das políticas sanitárias e econômicas obriga (sic) a classe trabalhadora a ir para as ruas em busca de dinheiro para sobreviver e, com isso, se aglomerar nos locais de trabalho, no transporte coletivo, nas estações de trem e metrô, nos terminais e pontos de ônibus, ficando expostas à contaminação e morte” diz o documento.

Até o momento, não foi registrada grande adesão à “greve geral” proposta pela CUT por parte dos trabalhadores e o movimento pode passar sem muito destaque.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorALMT dá brecha para lockdown e aprova requerimento de quarentena obrigatória
Próximo artigoEx-governador de MT não paga R$ 23,4 milhões e PGR quer anular delação premiada