Curso superior em Gestão de Cooperativas forma 1ª turma em Mato Grosso

Alunos estão prontos para integrar cooperativas já em funcionamento e atuar na abertura de novas

Vinte e quatro alunos formaram-se na primeira turma do curso superior de Tecnologia em Gestão de Cooperativas da Faculdade de Pesquisa do Cooperativismo, em Cuiabá. A diretora acadêmica da faculdade e presidente do Instituto de Cooperativismo (I.coop), Janete Dalabarba, diz que a formação, apesar de nova no estado, teve um grande resultado, com baixo índice de evasão e muitos resultados que já estão prontos para serem aplicados, tendo em vista que o trabalho de conclusão de curso precisa estar alinhado à prática cooperativa.

O curso é um superior tecnólogo e tem a duração de dois anos e meio. Para entrar, o aluno precisa fazer uma redação, cujo texto será avaliado pelos professores. O principal critério de avaliação é ter o conteúdo consonante com o perfil cooperativista e que demonstre a habilidade do candidato com o trabalho de equipe, bem como a preocupação dele em ter um trabalho que atenda à comunidade.

Para o ano de 2022, o processo seletivo está previsto para julho. A professora Janete Delabarba explica que os alunos têm as mais diferentes origens. Alguns já trabalham em cooperativas, outros são jovens aprendizes e há ainda os que veem de comunidades com potencial para o cooperativismo e querem aplicar o conhecimento onde moram.

Entre os diferenciais do curso estão o foco nos valores cooperativos dentro das disciplinas, como a democracia, qualidade em gestão, sustentabilidade e desenvolvimento da economia local e social.

Outra diferença é a união entre teoria e prática que acontece nas aulas, tendo em vista que as situações são avaliadas a partir de casos reais. Na opinião de Delabarba, isso foi importante para manter o interesse do aluno e não o deixar desanimar mesmo diante da pandemia, que obrigou as aulas a serem on line.

E o mercado?

A professora esclarece que o Brasil e Mato Grosso têm muito o que desenvolver em relação ao cooperativismo. E, além dos profissionais formados serem preciosos para as cooperativas já em funcionamento, eles também podem ser agentes de transformação e trabalharem na abertura de novas cooperativas.

“Temos que entender que o conhecimento é processual e ele precisa de tempo e estudo. Não é algo mágico. E, com o curso de superior, as pessoas podem aprender a teoria e debruçar sobre casos práticos até construir a base de conhecimento sólida. Por isso, temos no nosso curso muita gente que já tem uma formação e buscou a segunda para aprender como aplicar o cooperativismo”, afirma Delabarba.

Uma dessas pessoas é o médico veterinário Carlos Dorileo. Ele trabalha com animais de grande porte e já fez mestrado na área de cooperativismo. Teve uma carreira profissional na qual atuou fortemente com o setor de cooperativismo do leite e, agora, que se se aposentou, pretende atuar na construção de novas cooperativas.

Ele disse que entrou no curso cheio de expectativas e teve todas atendidas no decorrer das aulas.  Segundo o gestor de cooperativas recém-formado, o que mais chamou a atenção foram a qualidade dos professores e o formato das aulas.

Além da parte teórica, havia a aplicação prática dos conhecimentos e ainda a troca de experiência entre os próprios alunos, já que a sala tinha integrantes de diversos segmentos – agro, mineração, crédito, saúde e trabalho.

Dorileo acredita que a primeira aplicação do que aprendeu acontecerá na região do Pantanal, onde tem uma propriedade rural. Lá, ele acredita que há espaço para uma cooperativa de recuperação dos recursos hídricos e quer trabalhar para isso.

Serviço – Interessados no curso superior de Tecnologia em Gestão de Cooperativas podem acessar o site: https://www.icoop.edu.br/

SomosCoop – A Organização das Cooperativas Brasileiras de Mato Grosso – Sistema OCB/MT – é uma entidade formada por 3 instituições que fazem papéis distintos e ao mesmo tempo interligados, focados no suporte às cooperativas: OCB/MT – Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras de Mato Grosso; Sescoop/MT – Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de Mato Grosso; e o I.Coop – Faculdade de Cooperativismo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO nosso pêndulo moderno
Próximo artigoMudança no staff