|sábado, 21 abril 2018

Curso ensina a mulheres noções básicas de mecânica para evitar golpes

COMPARTILHE COMPARTILHE

Divulgação

mecanica para mulheres

“Mecânica para Mulheres” capacita mulheres em mecânica básica de automóveis

A brincadeira de “carrinho”, designada aos meninos na infância, quando chega ao âmbito profissional com a divisão do trabalho por gênero, acaba privando muitas mulheres do conhecimento da mecânica, exemplo de ramo culturalmente masculino. Isso facilita ainda mais os golpes que já são aplicados nos consumidores independente do gênero.

Mas a mulherada cansada de ser enganada já está reagindo com iniciativas de auto capacitação em todo país, tendência que já chegou na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a exemplo do curso Mecânica para Mulheres. O Projeto de Extensão é coordenado pela professora do curso de Engenharia Florestal, Mariana Peres, e oferece ensinamentos de noções básicas de mecânica de automóveis – gratuito e somente para elas.

“Quais as peças e partes de um motor, como fazer a manutenção do carro, como troca de óleo, calibragem dos pneus, economia de combustível, troca de bateria e pneu. Coisas básicas do dia a dia de quem tem um carro”, explica Fernanda Avelina, bolsista responsável pela divulgação do curso e auxílio das aulas.

Divulgação

mecânica para mulheres

Curso acontece em um sábado por mês com atividades teóricas e práticas

O curso é aberto à comunidade acadêmica e ao público externo, e as aulas são mensais com duração de 4 horas, divididas entre teoria e prática. “Escolhemos um sábado por mês e eu ajudo a apresentar a parte teórica, mas a professora está sempre presente para sanar qualquer dúvida”, explica.

“É basicamente uma roda de conversa e a gente disponibiliza uma apostila”, completa a estudante do oitavo período que também compartilha seus aprendizados”, completa.

Segundo ela, a parte prática fica por conta da professora Mariana Neves. “A gente abre o capô, mostra o motor, quais as peças, como se faz a troca de óleo, por exemplo, onde colocar água do radiador, agua para o para-brisa, bateria, etc. Depois fazemos uma troca de pneu e uma ‘chupeta’”, completa Fernanda.

Divulgação

mecânica para mulheres

A professora Mariana é quem ministra as aulas práticas, identifica a peça e dá dicas para a mulherada

A estudante também já levou a experiência para pesquisas acadêmicas e conclui que a iniciativa faz parte do processo de empoderamento feminino. “Existem coisas que são taxadas como “coisas de homem” e a mecânica é uma delas, mas o curso mostra que nós mulheres podemos ser autossuficientes em todos os aspectos”, afirma.

Karol Dendro participou de um dos cursos. A aluna ressaltou a importância dos exercícios práticos e aprendeu que a força as vezes não é tão necessária quanto ‘o jeito’. “Pela lógica eu achava muito fácil trocar pneu e na prática é mais difícil, mas a professora ensinou um macete que não precisa do uso da força do braço que as vezes a gente não tem, como subir em cima da chave de fenda e colocar todo o peso do corpo”, exemplificou.

A jovem também aprendeu comportamentos preventivos, como olhar a água e o óleo para evitar fundir o motor. Agora ele já está mais esperta quando tem algum problema em seu carro. “Às vezes é uma coisinha de nada que precisa ser trocada ou dá para recuperar e a gente mesmo poderia resolver ou evitar, mas acabamos refém de mecânicos que as vezes age de má índole por ver que a gente não entende”.

Divulgação

mecanica para mulheres

O projeto retorna no mês de maio com inscrições online pelo Facebook

Fernanda conta que a iniciativa já se está expandindo para espaços. Elas encerram as atividades do semestre ministrando o curso para as funcionárias de uma empresa transportadora.

Na UFMT, as aulas retornam no mês de maio e as inscrições são feitas online, por um link compartilhado na página do Facebook, proximo à data. Para participar é só ficar de olho e não perder tempo, pois as vagas são limitadas a 15 mulheres e a procura é grande. “Na ultima inscrição as vagas foram preenchidas em 30 minutos”, alerta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Terceira mulher é estuprada próximo à Unemat de Sinop

Comerciante reage a assalto, tira arma de bandido, mata um e fere outro

Taques chama Pivetta de preconceituoso e o compara a escravocratas

Clarice Lispector e irmã escreviam manuais para “amansar” empregadas, relembra pesquisadora da UFMT

X