Cultura da Paz é tema de programação ministrada por monge budista em Chapada dos Guimarães

Daniel Calmanowitz, cofundador do Centro Dharma da Paz de São Paulo, vai conduzir palestras e workshop em Cuiabá e Chapada dos Guimarães.

(Foto: Divulgação)

Com o tema Cultura da Paz, o monge budista Daniel Calmanowitz – Sánguie Tênzin, cofundador do Centro de Dharma da Paz de São Paulo, realizará uma extensa programação em Cuiabá e Chapada dos Guimarães na próxima semana, entre os dias 22 e 24 de março. O evento reúne palestras, workshop e prática de meditação com autocura.

Na sexta-feira (22), haverá dois momentos de palestra, um deles em uma empresa privada (não aberta ao público), com enfoque em combate ao estresse e melhoria da concentração na rotina diária. E ainda um diálogo aberto público e gratuito, com tema ,  em educação para a paz (local e horário ainda está passível de confirmação).

As atividades seguem no sábado e domingo (23 e 24), com um retiro em Chapada dos Guimarães. O objetivo, segundo o monge Daniel, é dedicar dois dias a atividades que ajudem a desenvolver paz interior, com exercícios práticos de meditação e a reflexão de como cultivar a verdadeira felicidade segundo os ensinamentos de Buddha Shakyamuni.

Para o sábado, no período da tarde, serão apresentadas de forma simples e direta as Quatro Nobres Verdades – os primeiros ensinamentos de Buddha, que em sua essência visam a conquista da felicidade, paz e qualidade de vida. E no domingo, manhã e tarde, será realizado um workshop de Autocura Tântrica Ngal-So, que visa o equilíbrio e relaxamento do corpo, palavra e mente.

“É uma prática simples que pode ser feita por pessoas com experiência mais avançada ou inicial em meditação. O importante é respeitar sempre os próprios limites e estar disposto a se observar, porque toda e qualquer transformação interna acontece de forma gradual e amorosa”, acrescenta o professor.

Como parar se enganchar em relacionamentos ruins, ficar ansioso ou não cometer mais bobagens? O monge avalia uma perda o sistema de ensino brasileiro não incluir a educação socioemocional. “As pessoas muitas são bem sucedidas, têm bons empregos, ótimos currículos e salários, porém não sabem lidar com as mas próprias emoções e as frustrações, nem conviver socialmente”.

Na Fundação Lama Gangchen para a Cultura de Paz, que é dedicada à educação de paz de forma laica, onde o monge trabalha há 11 anos, a experiência de meditação com crianças e jovens de escolas públicas e privadas tem sido um diferencial com muitos feedbacks positivos de famílias e professores.

“Nossa proposta não é fazer quem pratica a meditação um budista, o que queremos é oferecer ferramentas para que as pessoas tenham melhor qualidade de vida, sejam mais felizes e também sejam pessoas melhores”.

Filosofia de Buddha

“Paz Com Tudo, tudo Com Paz”. Uma das grandes inquietações de Buddha era o estado de sofrimento e insatisfação experimentado pela humanidade. A sua busca foi encontrar um caminho prático para transcender e alcançar felicidade, satisfação e alegria. As Quatro Nobres Verdades trazem respostas a estes anseios.

Na primeira verdade, o objetivo é desvendar o sofrimento, como ele se instala, quais os tipos observados e como explicá-los na vida prática. Já na segunda, buscam-se as causas para o sofrimento. A partir da terceira é tratada a cessação dele e, na quarta verdade, é proposto um caminho para transformar a si mesmo.

O monge Daniel pontua que se responsabilizar pela própria vida significa uma ‘grande virada’, pois permite sair de um ciclo contínuo de sofrimento. Além disso, permite trabalhar a formação do caráter ao permitir o treinamento cotidiano de atributos humanos, como amor, compaixão, generosidade, sabedoria, alegria e também o potencial de cura.

“No contraponto, o objetivo é identificar e aprender a lidar com os aspectos negativos, para ter menos raiva, apego, inveja, ciúmes, avareza, preguiça. Tudo isso compreende uma filosofia de vida voltada a um estado constante de paz interior que fazem as pessoas serem mais relaxadas, amorosas e colaborativas e aprenderem a lidar com as adversidades da vida”.

Para ele, embora os aspectos negativos da sociedade, entre eles a violência, existam em qualquer lugar do mundo, países budistas ou que tiveram forte cultura budista, como Indonésia, Tailândia, Myanmar, Butão e Sri Lanka, realmente têm uma cultura diferenciada, onde as pessoas são mais tranquilas e de bem com a vida.

 

Retiro paz interior

A programação em Chapada dos Guimarães ocorrerá no sábado e domingo (23 e 24), sendo no sábado das 14h30 às 19h, e no domingo, das 10h às 17h30. O investimento para a participação não visa lucro, é de R$ 300,00, incluindo estadia na Pousada Aretê e alimentação.

Qual é a proposta do budismo conforme compartilhada pelo próprio Buddha Shakyamuni? No sábado, os participantes terão acesso a uma abordagem única adotada por Buddha, há mais de 2.500 anos, sobre o porquê do sofrimento e como encontrar paz e felicidade. “As 4 Nobres Verdades são fatos básicos que delineiam um caminho para superar nossos problemas”, explica o monge.

No domingo, será realizado o workshop – Autocura Tântrica Ngal-So – que é um método para relaxamento que inclui a prática meditativa com enfoque em se familiarizar com as próprias qualidades e potencialidades. “Assim vamos adquirindo a capacidade de lidar melhor com o dia-a-dia atribulado, estresse, dificuldades, conflitos e problemas emocionais”.

A palavra “Ngal-So” significa relaxamento e recuperação. Usando esse método, é possível se recuperar de tipos diferentes de doenças mentais e físicas, em vários níveis do corpo, da mente e das emoções. Gradualmente, à medida que se pratica, gera um estado de relaxamento muito profundo.

Monge Daniel – Sánguie Tênzin

Diretor presidente da Fundação Lama Gangchen para a Cultura de Paz, criada em 2006, onde também trabalha em campo nos projetos de educação de paz. Coordena e ministra cursos, palestras, práticas de meditação e retiros no Centro de Dharma da Paz, templo de práticas e estudos do budismo tibetano – fundado em 1988, em São Paulo.

É discípulo do mestre budista tibetano S.E. Lama Gangchen Rinpoche e praticante budista desde 1987. Participa de ensinamentos e retiros com Lama Gangchen no Brasil e em várias partes do mundo, e o acompanha em muitas viagens de peregrinação a lugares sagrados budistas na Índia, Tibet, Nepal, Indonésia, Myanmar e outros.

Como são poucas vagas para o retiro (Chapada dos Guimarães) e também para a palestra pública (Cuiabá), é importante ligar e fazer a reserva. Outras informações poderão ser obtidas nos contatos: (65) 98414-4383/98123-4814/ [email protected]

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPais de criança que ingeriu soda cáustica apelam por vaga em UTI: “estamos desesperados”
Próximo artigoA espera está acabando! 4ª temporada de Lúcifer ganha previsão de estreia