Cuiabá prorroga vacinação contra a Influenza até 15 de junho

Alinhada com o calendário nacional, a campanha visa prevenir os três tipos de Influenza: Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B e tinha previsão de encerrar na sexta-feira (01.06)

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Seguindo a recomendação adotada pelo Ministério da Saúde, que alerta sobre possíveis impactos nos atendimentos em serviços de saúde em decorrência da ‘Paralisação dos Caminhoneiros’, a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá (SMS) prorrogará a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza até 15 de junho.

Alinhada com o calendário nacional, a campanha visa prevenir os três tipos de Influenza: Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B e tinha previsão de encerrar na sexta-feira (01.06).

De acordo com o secretário-adjunto em Assistência em Saúde, Dr. Milton Corrêa da Costa Neto, os últimos levantamentos da Secretaria apontam que mais de 72% dos 136 mil cuiabanos inseridos nos grupos prioritários e de risco compareceram às 67 salas de vacinação da Capital. A meta nesta fase, segundo ele, é seguir imunizando este grupo.

“Com a determinação, seguimos reforçando a importância de vacinarmos os grupos prioritários. É fundamental que essas pessoas procurem os postos para se protegerem contra a gripe, pois a vacina é a medida mais eficaz para evitar a doença e, sobretudo impede a evolução da forma grave”, frisou Dr. Milton Corrêa.

Ainda segundo o adjunto, a definição do grupo de risco segue critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e de estudos epidemiológicos. Nos grupos prioritários estão inseridos trabalhadores da saúde e professores da rede pública e privada, crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos, gestantes em qualquer idade gestacional, puérperas até 45 dias após o parto e indivíduos com 60 anos ou mais de idade.

Também estão inseridos no grupo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medida socioeducativa, a população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, além de pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, independente da idade, mas, nesses casos é necessária a apresentação de alguma comprovação da comorbidade pelo usuário no ato da vacina.

A população que não faz parte do grupo deve ficar atenta, pois segundo explicou o responsável técnico de Imunização da SMS, Wellington Assunção, após o dia 15, (término da Campanha) o município aguardará novo posicionamento do Ministério da Saúde para saber se haverá doses extras e, em havendo, se o órgão federal abrirá a vacinação para os demais públicos.

“A expectativa do Ministério da Saúde é vacinar 54,4 milhões de pessoas até o dia 15 de junho. Entretanto, caso haja disponibilidade de vacinas nos estados e municípios, a vacinação poderá ser ampliada para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos”, finalizou o RT.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIsenção da cobrança do eixo suspenso para caminhões vazios passa a valer em MT
Próximo artigoHomem resiste à prisão e ataca policiais com mordidas em Cuiabá

O LIVRE ADS