Cuiabá pode ter nova onda de calor intenso em 2021

Próximo ano tem projeção de chuva dentro da média histórica, mas com tendência de redução nas semanas que antecedem o inverno

(Foto: Luiz Alves/Prefeitura)

Cuiabá pode ter uma nova onda de calor intenso em 2021, com a formação de um novo anticiclone a partir de abril. No início do próximo ano, o volume de chuvas deverá voltar à média histórica, mas com a tendência de redução no fim de março. 

Conforme análise do professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o geógrafo Rodrigo Marques, de janeiro a março, deve chover cerca de 700 mililitros na Capital. 

Para o primeiro mês, a previsão é de 247,5 mililitros, sendo 220 mililitros em fevereiro e  217 em março. Se confirmada essa projeção, esses volumes devolverão a média anual iniciada em 1911 de 1.400 mililitros.

Em 2020, ano com recorde de calor, só 60% de volume esperado havia chovido entre janeiro e o início de dezembro. 

“Mas, a partir de abril, quando começa o nosso inverno e seria a temporada da chuva, o volume vai ser menor, então vai ser uma temporada mais seca. E pela análise de outros anos, já sabemos que, quando a temporada de chuva é mais seca, é porque ocorreu um anticiclone”, pontua o professor. 

O fenômeno foi destacado nos meses de setembro e outubro em Mato Grosso, quando várias cidades bateram recorde de calor. Nova Maringá (400 km de Cuiabá) teve o maior pico com registro de temperatura de 44,6ºC no dia 5 de outubro. 

Cuiabá teve máxima de 43ºC, com duas quebras de recorde de alta temperatura no mesmo dia. Rondonópolis também elevou o nível da temperatura com 43ºC no mesmo período. 

“Duas coisas levaram a esse calorão deste ano. Primeiro, não houve a entrada de frente fria que possibilitasse refrescar o clima e que levasse a chover. Tivemos a formação de um anticiclone, um fenômeno ao contrário do que leva ao resfriamento. O ar quente baixou a uma altura de 5 quilômetros e pressionou o ar quente aqui de baixo, causando a aceleração das moléculas e à sensação de calor mais intenso”, explica o professor. 

Conforme o geógrafo, Cuiabá tem registrado aumento de temperatura desde 2010 no mês de agosto, quando clima deveria estar em situação de resfriamento. Nesse ano, as máximas para o mês ultrapassaram a marca de 40ºC. As temperaturas mais altas foram registradas em 2010, 2013, 2015, 2016, 2017 e 2020. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSeguros para gastar? Vendas no crediário aumentam em Cuiabá
Próximo artigoAinda precisa trocar presente? Fique atento aos seus direitos e tire dúvidas