Cuiabá libera festas de Natal e Réveillon sem horário para encerramento

Novo decreto da prefeitura também trata do retorno das aulas presenciais, que continuarão suspensas até o fim do ano

(Foto: Freepik)

Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) assinou decreto liberando as festas de comemoração ao Natal e Réveillon sem limite de horário para encerramento.

O ato administrativo foi publicado nesta sexta-feira (11) na edição da Gazeta Municipal.

Nos bastidores, se comenta que a decisão atendeu pedidos de empresários dos setores de bares, cultura e entretenimento, que veem nas festividades de final de ano uma oportunidade de aumentar os lucros, duramente prejudicados ao longo da pandemia.

O Decreto nº 8.248 estabelece que, excepcionalmente nos dias 24 e 25 de dezembro  (Natal) e 31 de dezembro e 1º de janeiro (Réveillon), não será aplicado o horário limite para término dos eventos de qualquer natureza.

Volta às aulas

O prefeito ainda aproveitou o mesmo decreto para manter a proibição de retorno às aulas presenciais nas redes de ensino público e privado de Cuiabá até o dia 31 de dezembro.

A determinação não afeta as medidas já estabelecidas pelo Decreto nº 8.084, de 2 de setembro, que autorizou o retorno das modalidades berçário I e II e maternal I, nas unidades de ensino privadas de Cuiabá.

Da mesma forma, também continua permitido na Capital a retomada das atividades presenciais dos cursos livres em geral – pós-graduação e congêneres – respeitado o limite de até 35 alunos por turma e 50% da capacidade do ambiente.

Ainda foi ressaltado que deverá permanecer todas as medidas de biosseguranças como  distanciamento mínimo de 1,5 m entre as pessoas; uso obrigatório de máscaras de proteção e/ou protetor facial em acrílico; oferta permanente de álcool em gel 70%; higienização constante dos produtos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVontade de doce após as refeições?
Próximo artigoMP denuncia prefeito que usou trator, combustível e até funcionário público em área particular