Cuiabá é a 10ª melhor cidade do país para o comércio, aponta pesquisa

A Capital também aparece na 11ª posição no ranking das melhores cidades para fazer negócios no setor da agropecuária

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Cuiabá é a 10ª melhor cidade do Brasil para fazer negócios no setor do comércio. É o que aponta o estudo “Melhores Cidades para Fazer Negócios 2.0”, produzido pela empresa Urban Systems para a revista Exame.

No ranking, em que as cidades recebem notas de no máximo 10 pontos, Cuiabá aparece com a nota 5,4. A primeira colocada, Barueri (SP), recebeu nota 6,2.

O levantamento avalia as 326 cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes e monta um ranking das 100 mais atrativas para o desenvolvimento de negócios, considerando condições específicas.

Para avaliar o ambiente de negócios no setor do comércio, foram levados em conta 11 indicadores, além de outros ligados ao macro cenário da pandemia de covid-19, que afetou a economia de todo o mundo.

  • empregos com média e alta remuneração
  • renda do trabalhador do comércio varejista e atacadista
  • estabelecimentos comerciais varejistas e atacadistas
  • variação do número de empregos
  • crescimento populacional
  • banda larga por habitante
  • auxílio emergencial
  • renda do trabalhador formal

Os indicadores que tiveram maior peso nessa avaliação foram o crescimento populacional, auxílio emergencial e renda média do trabalhador formal.

Cuiabá demonstrou bom desempenho, com um acréscimo de 0,91% em sua população entre 2019 e 2020; média de R$ 838,15 de auxílio emergencial por habitante; e média de R$ 4.075 de renda para os trabalhadores com carteira assinada.

O setor atacadista também se destacou no levantamento acerca do ambiente de negócios na capital mato-grossense, com crescimento na renda nominal do trabalhador de 17,18%, entre 2017 e 2018 e crescimento de 4,61% dos estabelecimentos.

Secretária municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Débora Marques comemorou o posicionamento de Cuiabá na pesquisa e afirmou que “o principal foco da atuação da Prefeitura é estabelecer o equilíbrio econômico e o bem-estar da sociedade cuiabana”.

Segundo ela, a pandemia prejudicou muito a economia, causando o fechamento de empresas e perda de empregos, mas a gestão “está trabalhando muito para restabelecer os dois pilares que sustentam a economia cuiabana, que são o comércio e o setor de serviços. E estes apresentam bons sinais de aquecimento para o próximo ano”.

Agropecuária

Ainda conforme o estudo da Urban Systems, Cuiabá aparece na 11ª posição no ranking das melhores cidades para fazer negócios no setor da agropecuária, com nota 3,22. A primeira colocada, Juazeiro (BA), recebeu nota 3,9.

Conforme os pesquisadores, as notas mais baixas nesse ramo demonstram que, apesar de serem destaque, essas cidades não são mais urbanizadas.

Nesse ramo de negócio, Cuiabá se destaca pelo percentual de empregos com média e alta remuneração, que é de 27,21%, o maior entre os setores da economia.

O crescimento de 693,32% das exportações também pesou favoravelmente nessa balança, conforme dados do Ministério da Economia.

“Cuiabá é considerada a cidade do agro pois aqui estão localizadas as maiores empresas ligadas ao agronegócio. Toda tratativa de importação, exportação acontece aqui na Capital, além de termos as representações, como a Famato, a Acrimat, que estão ligadas a essas negociações do agronegócio”, comentou a secretária.

Para avaliar as cidades no setor agropecuário, além dos impactos da pandemia, foram definidos os seguintes critérios:

  • empregos com média e alta remuneração
  • crescimento da produção da lavoura permanente e a lavoura temporária
  • produtividade das lavouras permanente e temporária
  • crescimento da produção pecuária
  • exportação agropecuária
  • empregos no setor

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVídeo | “Da direita, quantos mais morrerem de covid é melhor”, diz professora
Próximo artigoPaulo Guedes diz que pandemia atrapalhou planos do Governo