Cuiabá confirma a primeira morte por H3N2

Vítima tinha 68 anos e estava internada em um hospital particular da Capital. O óbito aconteceu em 30 de dezembro

Imagem Ilustrativa (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá (SMS), por meio da Vigilância Epidemiológica, confirmou o primeiro óbito de paciente residente em Cuiabá por Influenza A H3N2. A vítima trata-se de uma mulher, de 68 anos, que estava internada em hospital privado.

A notificação à Vigilância Epidemiológica de que a paciente tinha Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) ocorreu no dia 20 de dezembro. Já o óbito ocorreu no dia 30 do mesmo mês. A confirmação de que se tratava do vírus H3N2, no entanto, aconteceu só nesta terça-feira (4), após o recebimento do laudo do exame do Laboratório Central do Estado (Lacen).

Cuidados contínuos

Gerente da Vigilância Epidemiológica, Flavia Guimarães reforça que a Síndrome Gripal é transmitida pelas vias respiratórias, da mesma forma que a covid-19.

“Precisamos manter todos os cuidados de prevenção, como lavagem das mãos, distanciamento social, uso de álcool 70%, uso de máscara, manter-se afastado de pessoas que apresentem sintomas, evitar aglomerações, para que não haja o contágio”, disse.

LEIA TAMBÉM

Guimarães destaca também a necessidade da vacinação, tanto para a covid-19, quanto para a Influenza e reforça que o médico deve ser procurado assim que os primeiros sintomas aparecerem.

“No caso destas doenças que são imunopreveníveis, como as Influenzas e a covid, quando a pessoa toma a vacina, diminui a possibilidade de ter uma evolução na doença com gravidade e de ter óbito. O importante é termos todos estes cuidados e aqueles que apresentarem sintomas devem buscar uma unidade de saúde para fazer avaliação e o acompanhamento dos profissionais de saúde”, alerta.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCampanha de vacinação nas escolas
Próximo artigoDobro da média nacional: salário médio da Polícia Penal em MT é de R$ 8 mil