Cuiabá: cerca de 2 mil alunos devem migrar de escolas particulares para públicas

Prefeito Emanuel Pinheiro diz que crescimento ocorre mesmo com delay de quase seis meses para reabrir a rede municipal

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Cerca de dois mil estudantes do ensino fundamental que hoje estão na rede privada de ensino devem migrar para a rede pública até 2022. A previsão é do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro. 

Segundo ele, o ano da pandemia (2020) começou com 52,5 mil alunos na rede municipal e ensino. Todos com idade até 11 anos. A expectativa para o próximo ano letivo, no entanto, é que sejam necessárias mais de 54 mil vagas. 

Presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino (Sinepe) de Mato Grosso, Gelson Menegatti diz não ter um cálculo sobre a saída de alunos, do ensino fundamental, da rede privada para a pública. 

Ao longo do período em que escolas ficaram fechadas por conta da pandemia, no entanto, o próprio sindicato relatou uma crise que levou, inclusive, ao fechamento definitivo de muitas escolas particulares.

LEIA TAMBÉM

Na rede municipal de ensino na Capital, as aulas presenciais foram retomadas há pouco mais de duas semanas, por força de acordo judicial.

Questionado sobre a demora – já que a permissão para o retorno das aulas nas escolas particulares ocorreu há cerca de seis meses – Emanuel Pinheiro afirmou que a decisão levou em conta a logística. 

Segundo o prefeito, reabrir as escolas municipais significaria estimular a circulação de 54 mil alunos e 7 mil profissionais, “cada um de uma origem, cada um de uma região, cada um de um contato na cidade”. 

“É uma atividade de risco para se voltar de qualquer forma e a credibilidade da gente foi tanta que aumentou em quase dois mil alunos entre 2019 e 2022”, disse.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPoderes vão receber R$ 2,8 bilhões em duodécimo no próximo ano
Próximo artigoPoliciais encontram 40 bois mortos ao checar denúncia de maus-tratos a animais