Cuiabá 40°C: pandemia e calor fazem depender do ônibus ser ainda pior

Neste ano, as dificuldades corriqueiras são acompanhadas de novidades como ar-condicionado desligado e o uso da máscara

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A onda de frio passou e a previsão do tempo aponta que as altas temperaturas – beirando os 40°C – estarão de volta a partir dessa segunda-feira (24). Um desafio a mais para quem depende do transporte coletivo em Cuiabá.

Há pontos de ônibus sem abrigo, o ar-condicionado das estações estão desligados e os aparelhos nos poucos carros da frota estão sendo usados somente no modo exaustação (ventilação). 

“Nem mesmo quando as estações estão cheias, nos horários de pico, o ar condicionado é ligado. Outro dia, seis horas da tarde, entrei na Estação da Ipiranga e minha camisa chegou a ficar molhada de suor. É um calorão que Deus me livre”, diz o vendedor ambulante Johnson Duarte Ferreira, 47 anos. 

Ele circula pelas portas das estações no centro de Cuiabá (Alencastro, Bispo D. José e Ipiranga) com seu isopor de água e refrigerantes e enfrenta o calor do lado de fora e do lado de dentro.  

Conta que ainda não viu nenhuma situação de pessoas que passaram mal por influência direta do calor. Mas acredita que o clima abafado pode estar associado alguns desmaios de pessoas que passam o dia sem alimentação e, na hora de ir embora, encaram as estações  de ônibus cheias. 

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Ônibus cheios de novo! 

A diarista Ana Clara, 31 anos, diz que já viu uma adolescente desmaiar. Aconteceu em umas das recentes manhãs, em que o dia já inicia com a sensação térmica bem alta, e depois que os ônibus voltaram a ficar cheios, com a circulação de mais pessoas indo para o trabalho. 

“Pedi para uma pessoa que estava sentada levantar e dar lugar para a menina. Ela ficou pálida e começou a desmaiar. Estava um calorão, oito horas da manhã. E o ônibus estava cheio de novo. Bem no início da pandemia a gente estava conseguindo ir e volta sentado, porque tinha pouca gente”, ela conta. 

Conforme a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), a média diária de passageiros em Cuiabá é de 260 mil pessoas. Com a restrição da circulação na pandemia, o movimento caiu cerca de 30%. 

Os passageiros ainda estão proibidos de embarcar sem uso de máscara.

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Não está favorável 

No fim de julho, com a volta das atividades econômicas – ainda que em horário reduzido -, a ocupação dos ônibus voltou a aumentar. É um público distribuído por apenas 360 veículos. 

Desse total, apenas 30% têm ar-condicionado instalado. Mas os equipamentos estão funcionando a meio serviço. A Associação Mato-grossense de Transportes Urbanos (MTU) informou que, desde o início da pandemia, os carros estão circulando apenas no modo exaustão. 

Faz parte das medidas para conter a propagação do novo coronavírus. Com o aparelho ligado, os ônibus circulam com as janelas fechadas e com corriqueira lotação acima da capacidade. 

Esse tipo de serviço, segundo a MTU, será mantido até que haja uma nova decisão da prefeitura sobre as condições sanitárias. A mesma restrição está valendo para o funcionamento de ar-condicionado nas estações. 

LEIA TAMBÉM

Já a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) informou que há autorização para que os aparelhos sejam ligados. Mas, na prática, a reportagem do LIVRE checou que apenas os ventiladores nas entradas estão funcionando. Um servidor disse que é determinação da prefeitura. 

Quanto aos abrigos, a secretaria disse que a retirada faz parte dos serviços de revitalização das paradas de ônibus. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Mato Grosso é um ESTADO de Calor como A Paraíba Maranhão Pará ou qq outros ESTADOS Norte Nordeste Centro Oeste, DIZER que GENTE sente MUITO Calor é aumento POPULAÇÃO e Arrocha Transportes. AGORA DIZER que Gados quê ESTÃO morrendo em fazendas Pecuaristas é a Onda de Frio de 19 a 24 de agosto é Denunciar Agricultura e DOENÇAS Vacinas Pastagens Alianças

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNosso inverno de cada ano!
Próximo artigoCâmara Federal decide se dobra penas para quem desvia dinheiro público