Crianças acendem vela e provocam incêndio que causa mortes de avó e bisavó

A avó de 56 anos e a bisavó de 89 tentaram apagar as chamas com uma mangueira e acabaram consumidas pelas chamas

Foto: Corpo de Bombeiros

Uma tragédia em Tapurah (430 km de Cuiabá) no fim da noite desse domingo (22) deixou uma família destruída. Ao acabar a luz, duas crianças acenderam uma vela e acabaram provocando um incêndio que causou as mortes da avó e da bisavó delas.

O incêndio aconteceu na Rua dos Pinhais, no Bairro Cristo Rei. Na casa estavam dois meninos e duas senhoras, uma de 56 anos e outra de 89 anos – que cuidavam dos netos enquanto a mãe deles trabalhava.

Conforme informações da Polícia Civil, o irmão mais velho contou aos policiais que acabou a luz da casa; então, o irmão mais novo, utilizando um isqueiro, acendeu uma vela e deixou próxima a um colchão.

Pouco depois os dois viram que o incêndio tinha começado. O mais velho disse ter pulado a janela e que não viu por onde o mais novo, de quatro anos, saiu.

Os dois irmãos saíram correndo para pedir ajuda, enquanto a avó e a bisavó tentaram pegar uma mangueira para apagar o fogo, mas as chamas já estavam muito altas e, por fim, as duas já não conseguiram sair da casa.

A Brigada de Combate a Incêndio e o Hospital Municipal foram acionados e enviaram viaturas ao local para socorrer possíveis feridos.

Uma jovem de 25 anos recebeu a polícia e o socorro e disse ser irmã da moradora da casa, que no momento estava no hospital com os filhos, que tinham conseguido sair a tempo.

Depois que o incêndio foi controlado, foram encontrados dois corpos carbonizados, reconhecidos pela jovem como sendo sua mãe, Terezinha Batista, 56 anos, e sua avó, Maria Francisca de Mello Batista, 89 anos.

Durante o combate às chamas, os bombeiros de Lucas do Rio Verde chegaram ao local e finalizaram o trabalho.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEm Nova Iorque, Mendes afirma que países ricos devem pagar por preservação
Próximo artigoA Síndrome de Down e o valor humano