Créditos pessoais de até R$100.000 oferecidos pela Caixa Econômica Federal

Desde o ano passado são muitas as pessoas que tiveram que fazer frente a gastos e despesas extraordinárias, ainda sem ter um salário ou ingressos com que poder suportá-los: desde a compra de aparelhos de tecnologia e móveis para poder trabalhar desde casa, até os custos de atendimento sanitário.

 

De fato, a crise que atravessa o sistema de saúde no país, motivada pelo incremento permanente dos contágios do Covid-19, também se faz sentir nas economias familiares. No estado de São Paulo, por exemplo, onde a taxa de ocupação de leitos de UTI ultrapassa 90% da capacidade, várias famílias têm se endividado para poder pagar camas em hospitais privados. Para isso, os valores da hospitalização podem superar os R$75 mil.

 

Nesse contexto, muitas instituições desenvolveram mecanismos de financiamento, ainda para aqueles individuos sem um historial creditício ótimo, ou até mesmo com o CPF negativado. É o caso da Caixa Econômica Federal, que tem liberado a concessão de crédito livre, sem ingressar na consulta do SPC ou Serasa, facilitando a contratação para quem estiver inadimplente.

 

Esta modalidade de crédito pessoal disponibiliza o valor de até 100 mil reais. O interessado pode obter a informação sobre um crédito na hora, ingressando no site da instituição. É claro que, por causa de ter o nome negativado, o banco precisa de algum tipo de garantia de cumprimento da obrigação. Neste caso, a Caixa habilitou duas modalidades: mediante penhor, ou através do FGTS.

 

Penhor

Por este meio, o contratante oferece algum bem, dos aceitos pelo banco, como garantia do empréstimo. O valor do objeto colocado em penhor funciona como mecanismo para assegurar o pagamento das parcelas. Caso o cliente não pague, o banco poderá leiloar o bem. Geralmente são aceitas jóias, pérolas, relógios, entre outros.

 

FGTS
Neste caso, o cliente pode aproveitar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), gerenciado pela Caixa, para garantir o pagamento do seu crédito. Assim, o valor máximo a ser solicitado não pode superar o equivalente a 10% do saldo disponível na conta do fundo, e nem ao 40% da multa aplicável no caso de existir demissão sem justa causa. Na situação de inadimplência das parcelas, o banco pode retirar o valor da dívida diretamente do FGTS, mediante o débito. Para poder solicitar um crédito com este tipo de garantia, o trabalhador precisa ter aderido à modalidade de saque aniversário.

 

Seja qual for a garantia escolhida, a boa notícia é que a linha de crédito não exige que o cliente seja correntista da Caixa previamente. Se for preciso, a própria instituição vai abrir uma conta para concretizar a entrega do valor e o pagamento das parcelas.

 

A Caixa ainda oferece mais uma opção de financiamento para os negativados, só que exclusivo para uma certa categoria: trata-se do cartão de crédito consignado para segurados do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS). Este produto apresenta uma das condições mais convenientes do mercado, com taxa de juros de 3,7% ao mês e sem cobrança de anuidade. O valor da fatura é descontado automaticamente da folha de pagamento ou benefício do contratante.

 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrazo para pagamento dos tributos federais, estaduais e municipais é prorrogado
Próximo artigoDocumentos do Detran-MT podem ser protocolados por e-mail