CPI ou caso de polícia?

Vereadores de Cuiabá resolveram "visitar" a empresa que armazena carros apreendidos e a polícia foi acionada por um funcionário

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma ação da CPI da Semob, instalada na Câmara de Cuiabá, acabou com a presença da Polícia Militar.

Os vereadores Diego Guimarães, Lilo Pinheiro, Wilson Kero Kero e Abílio Júnior faziam uma “visita” à empresa Rodando Legal – onde veículos apreendidos ficam armazenados até serem resgatados pelos proprietários – e a polícia acabou acionada.

O caso ocorreu na manhã desta segunda-feira (25). Segundo o boletim de ocorrência, um funcionário teria ligado, informando que os vereadores arrombaram uma fechadura para entrar no pátio.

Quando a polícia chegou, os próprios parlamentares negaram essa versão. Disseram que um funcionário permitiu a entrada deles e destacaram ter autoridade para estar no local, já que a empresa tem contratos com o poder público.

A situação acabou, aparentemente, resolvida com uma conversa. Ao LIVRE, Lilo Pinheiro afirmou que o boletim de ocorrência não foi fruto de uma denúncia da Rodando Legal, mas apenas procedimento “padrão” da Polícia Militar, já que uma viatura se deslocou ao local.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSindicato elabora plano para retomada gradual do setor de eventos em Cuiabá
Próximo artigoJustiça do Trabalho manda secretaria afastar servidores do grupo de risco para covid-19