|Quinta-feira, 24 maio 2018

    CPI na Câmara convoca Silval e irmão de Emanuel Pinheiro

    COMPARTILHECOMPARTILHE

    Ednilson Aguiar/Olivre

     prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro

    Emanuel Pinheiro: “CPI do Paletó” aberta na Câmara de Cuiabá definiu os nomes dos primeiros depoentes

    O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e seu ex-chefe de gabinete Silvio César Correa estão entre os dez primeiros convocados para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, que investiga suposta quebra de decoro e obstrução da Justiça do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB). Os dois delatores foram os responsáveis pela gravação em que Emanuel aparece recebendo dinheiro e guardando no bolso do paletó.

    Os nomes dos convocados foram definidos nesta quarta-feira (6) e os depoimentos começam em fevereiro de 2018. O servidor Valdecir Cardoso de Almeida, responsável por instalar a câmera no gabinete de Silvio, também será convocado. Segundo os delatores, o dinheiro era de propina para que os então deputados estaduais aprovassem projetos do governo.

    O irmão do prefeito, Marco Polo Pinheiro, conhecido como Popó, também está entre os convocados. A defesa de Emanuel alegou que o dinheiro recebido por ele no vídeo era para pagar uma dívida de Silval com o instituto de pesquisa Mark, que pertence a Popó.

    O ex-secretário de Indústria e Comércio Allan Zanata também será ouvido. Ele gravou uma conversa com Silvio e entregou a Emanuel Pinheiro. O áudio foi apreendido pela Polícia Federal durante a Operação Malebolge.

    Também será convocado o perito judicial Alexandre Perez, que fez uma perícia no áudio gravado por Zanata e apontou que não houve edição da gravação. A gravação e a perícia foram usados pela defesa de Emanuel para pedir a anulação da delação de Silval, mas o pedido foi negado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

    O último a ser ouvido será Emanuel Pinheiro. “O Código do Processo Penal tem um rito, e estabelece que o acusado é o último a ser ouvido. Vamos aplicar aqui na CPI, para evitar nulidade”, afirmou o presidente da CPI, o vereador Marcelo Bussiki, via assessoria.

    Além disso, serão convidados o delegado da Polícia Federal Wilson Rodrigues de Souza Filho e os agentes Adha de Oliveira Omote e Marcelo Pimenta Orge, que cumpriram mandados na Operação Malebolge. Eles também assinaram o relatório da perícia técnica no áudio gravado por Zanata e apuram a denúncia de que Emanuel teria escondido computadores com informações comprometedoras na casa de sua mãe.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your name here
    Please enter your comment!

    DESTAQUES

    Profissionais do sexo denunciam comerciante que as chamou de “putas”

    Desembargador diz não ver crime de estupro por vítima estar bêbada e ter tido...

    Cinco pessoas morrem e 10 ficam feridas em acidente envolvendo dois carros em MT

    Em protesto, Chopp será vendido pela metade do preço em Cuiabá

    X