CPI deve retornar em Cuiabá

"CPI do Paletó" investiga suposta quebra de decoro do prefeito Emanuel Pinheiro

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

A decisão liminar que suspendeu as atividades da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, movida na Câmara de Cuiabá, foi revogada pela desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), no dia 10 de janeiro.

Com isso, a investigação sobre a suposta quebra de decoro do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), deve ser retomada no Parlamento.

Instaurada em novembro de 2017, a CPI do Paletó  acabou suspensa, em março de 2018 por determinação judicial. A briga se deu por conta da nomeação de seus membros.

Em setembro de 2019, o juiz Wladys Roberto Freire do Amaral, da 4ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, determinou a retomada dos trabalhos.

Em outubro, a Comissão foi quase refeita na Câmara de Cuiabá. O vereador Marcelo Bussiki (PSB) seguiu como presidente, mas foram eleitos relator e membro, respectivamente, os vereadores Toninho de Souza (PSD) e Sargento Joelson (PSC).

Contudo, a Câmara recorreu, alegando que o curto prazo concedido pelo juiz (48 horas) para o retorno das atividades causava prejuízo ao Parlamento. O argumento foi acatado pela desembargadora Helena Maria, que agora revogou a própria decisão.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS