CPI da Sonegação Fiscal requer à Justiça cópia de quatro delações premiadas

Segundo Wilson Santos, documentos compartilhados irão nortear o rumo das investigações

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga a suspeita de sonegação de impostos e renúncias fiscais indevidas em Mato Grosso aprovou na tarde desta segunda-feira (23) requerimentos dos quais são cobradas perante o poder Judiciário o compartilhamento de provas inclusas em processos criminais que estão em segredo de Justiça.

Foi solicitado a 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá a íntegra dos termos de colaboração premiada do empresário do ramo de combustíveis Gércio Marcelino Mendonça Júnior, conhecido como Júnior Mendonça, bem como a do ex-governador Silval Barbosa, e do ex-secretário de Estado, Pedro Nadaf.

Também foi aprovado requerimento solicitando da Justiça Federal a cópia integral do termo de colaboração premiada do ex-diretor do Bic Banco Luiz Carlos Cuzziol.

O pedido de compartilhamento de provas se deve a suspeita de que muitas revelações estão vinculadas a práticas de crimes contra a ordem tributária de Mato Grosso, envolvendo sonegação de impostos, renúncias fiscais e pagamento de propina a servidores públicos e agentes políticos para favorecimentos indevidos.

O presidente da CPI, deputado estadual Wilson Santos (PSDB), afirmou que os documentos compartilhados irão nortear o rumo das investigações.

“A CPI está apenas começando. Se for necessário, faremos a prorrogação do prazo pelo período de 180 dias. Mato Grosso precisa de uma correção no plano tributário para coibir crimes e garantir ao Estado uma arrecadação mais eficiente que se reverta em serviços à população”, disse.

(Com assessoria)

Leia também

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNutricionista Fernanda Branco dá dicas sobre hábitos saudáveis
Próximo artigoTriplo atropelamento: bióloga e sobrevivente vão responder por homicídio

O LIVRE ADS