Covid-19: Governo de MT quer negociar compra de vacinas direto com fabricantes

Governador Mauro Mendes reclamou da lentidão da entrega das vacinas pelo plano nacional de imunização

(Foto: Gustavo Rampini/LIDE)

O governo de Mato Grosso vai pedir ao Ministério da Saúde uma intermediação para compra de doses extras de vacinas contra a covid-19. A intenção é que o ministério convença os laboratórios a abrir negociação direta com o Estado, alternativa bloqueada hoje por estratégia de mercado dos próprios fabricantes. 

“A vacina chega lentamente, prejudica nossa logística, porque recebemos 30 mil doses e eu tenho que distribuir para 141 municípios, em um Estado gigantesco como Mato Grosso. É avião voando pra cá, pra lá, carro saindo. Então, em 15 dias, chegam mais 60 mil doses, a conta-gotas”, reclamou o governador Mauro Mendes.   

Conforme o governo, cartas de intenção de compra já foram enviadas para a Sinovac, laboratório da CoronaVacSinopharm, cuja droga está sendo usada internamente na China, e à Pfizer, responsável pela vacina Pfizer Biotech, outro laboratório com quem trabalha em parceria na produção. 

De todos, o governo teria recebido a resposta que as negociações estão abertas somente aos governos federais, qualificado para a compra em âmbito nacional. Contudo, Mendes tem considerado o cronograma do Ministério da Saúde insatisfatório.  

“As pessoas estão ficando muito inquietas, irritadas. A população espera muito a vacina, espera se ver livre desse fantasma, desse pesadelo. Nós vamos fazer o possível e até o impossível para minimizar esse impacto na vida das pessoas e na economia brasileira”, disse o governador. 

Hoje, o Ministério da Saúde anunciou negociação com Instituto Butantan de mais 54 milhões de doses da CoronaVac. O cronograma do órgão calcula a entrega superior a 300 milhões de doses, de vários laboratórios, a Estados e municípios até o fim do ano. Mas as previsões podem ser alteradas.  

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDetentos aproveitam saída para trabalhar e fogem em Cuiabá
Próximo artigoAgulhas e seringas ao STF