Corpo de Antonio Mulato é velado na na Câmara Municipal de Livramento; veja fotos

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Familiares e amigos velaram na manhã deste domingo (16) o corpo de Antônio Benedito da Conceição, mais conhecido como Antonio Mulato. O corpo chegou a Câmara Municipal de Nossa Senhora do Livramento ainda na madrugada e permaneceu até o início da tarde para que os populares pudessem se despedir do líder e símbolo do Quilombo de Mata Cavalo.

Ele era o quilombola mais velho do país. Em vida, se destacou por lutar pela igualdade racial. Também foi um dos principais responsáveis por instalar a primeira escola pública do país em uma comunidade quilombola.

Em defesa de suas terras, recebeu incontáveis ameaças de morte, mas resistiu bravamente. No entanto, Antonio Mulato morreu sem ver um dos seus sonhos concluídos: a conclusão da regularização do Quilombo Mata Cavalo.

“É lamentável a demora do Estado Brasileiro na concretização dos direitos fundamentais”, disse em nota o procurador da República, titular do Ofício de Comunidades Tradicionais, Ricardo Pael Ardenghi.

Seu Antonio Mulato estava internado há cerca de dez dias no Pronto-Socorro de Várzea Grande. Segundo familiares, ele estava lúcido, mas apresentava dificuldades na fala e audição. Ele também sofria de mal de Parkinson e Alzheimer. Nos últimos dias vinha lutando contra uma insuficiência renal, mas não resistiu.

De sua descendência, além dos 13 filhos, deixou 38 netos, 44 bisnetos, 29 tataranetos e quatro trinetos.

Ele foi enterrado no cemitério Rondon, localizado dentro da própria comunidade.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.