Coronavírus: secretário defende isolamento e confirma nove casos em MT

Registros foram feitos em Cuiabá (6), Várzea Grande (2) e Nova Monte Verde (1)

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo defendeu nesta quarta-feira (25) o isolamento social no combate à disseminação do coronavírus. A medida, segundo o gestor, tem se mostrado eficaz e impedido o avanço da doença no estado.

“Não mudamos a nossa recomendação: quem puder, fique em casa. Não é uma fala, um discurso do presidente que muda as coisas da noite para o dia”, alertou.

Figueiredo se referiu ao pronunciamento oficial de Jair Bolsonaro, na noite da terça-feira (24). No discurso, o presidente pediu o “fim do confinamento em massa” e acusou a mídia de espalhar pavor.

LEIA TAMBÉM

“Isso não é uma invenção. Temos cientistas debruçados em estudos que citam a necessidade dessas medidas. Quem optar por não segui-las corre o risco e se responsabilidade”, pontuou.

Apesar de recomendar o isolamento voluntário, o secretário reconhece a necessidade do funcionamento de atividades classificadas como essenciais.

“Pessoas precisam comer, ir à farmácia. Daqui a pouco falta comida, não tem medicamento e nem combustível circulando”, alertou.

Números em MT

Até esta quarta-feira (25), nove casos testaram positivo para Covid-19 em Mato Grosso. Os registros foram feitos em Cuiabá (6), Várzea Grande (2) e Nova Monte Verde (1). Os pacientes  – seis homens e três mulheres – têm entre 26 e 50 anos.

No estado, 326 casos suspeitos são monitorados pelo governo.

A maior parte deles está em Cuiabá, que registrou 47 casos suspeitos. Várzea Grande, na região metropolitana, tem 31 notificações suspeitas e aparece em segundo lugar no ranking.

Nas duas maiores cidades do estado, o governo anunciou que deve realizar a desinfeção biológica de lugares que ainda tenham grande circulação de pessoas.

As ações serão realizadas nas rodoviárias das duas cidades e no Aeroporto Marechal Rondon.

Sinop, Rondonópolis, Campo Verde e Tangará da Serra aparecem em seguida na lista com 29, 28, 21 e 17 casos suspeitos, respectivamente.

Mortes suspeitas

Em live pelas redes sociais, Figueiredo afirmou que a morte de uma paciente em Barra do Garças (511 km de Cuiabá) não foi causada pela Covid-19. A mulher morreu na segunda-feira (23) após ser internada com sintomas de gripe.

Em Rondonópolis, a morte de um idoso ainda é investigada. O paciente morreu nesta quarta-feira. Segundo o governo, o material para análise já foi coletado e o resultado deve sair em até 72h.

O estado ainda não tem mortes por Covid-19 confirmadas.

No Brasil, 57 mortes foram confirmadas e 2.433 casos suspeitos monitorados. Os óbitos foram registrados em São Paulo e no Rio de Janeiro, os dois estados com maior número de casos no país.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSedec e Sindifrigo orientam frigoríficos em ações contra coronavírus
Próximo artigoA grande pausa

O LIVRE ADS