“Coronavac não é a vacina chinesa, é brasileira”, diz diretor do Butantan

Dimas Covas reforçou que a vacina será produzida pelo Instituto em território brasileiro, mesmo tendo material e tecnologia chinesa

(Foto: Jacqueline Lisboa/Especial Metrópoles)

Em entrevista do programa Roda Viva nesta segunda-feira (14), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que, embora a Coronavac esteja sendo fabricada com material, estudos e tecnologia vindos da China, o fato dela ser “montada” no Brasil a torna brasileira.

“A Coronavac não é a vacina chinesa, é a vacina brasileira, do Instituto Butantan. O Butantan, em parceria com a Sinovac, está desenvolvendo essa vacina”, ele defendeu.

O diretor do instituto ainda falou sobre a demora na aprovação pela Anvisa e garantiu que o órgão é competente. No momento, a vacinação em massa – planejada pelo governo de São Paulo para ter início em janeiro – depende dessa aprovação.

“A Anvisa tem total independência. Eu quero crer que o corpo técnico da Anvisa, que é muito capacitado, vai fazer todo o esforço para permitir que o Brasil tenha rapidamente essas vacinas, seja do Butantan, da Fiocruz, da Pfizer”, concluiu o diretor.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDesvio de finalidade?
Próximo artigoTJ mantém ação que apura suposto desvio de R$ 5 milhões em pagamentos do sistema S