Continua em alta a procura por procedimentos estéticos durante a pandemia; medida de biossegurança traz confiança aos pacientes

Foto: Cirurgião plástico Dr. Eduardo Sauter e paciente Marilza Duarte (Reprodução/O Livre)

A busca por procedimentos estéticos mais invasivos aumentou no Brasil e os efeitos chegam a Mato Grosso, com agendas apertadas de cirurgiões plásticos em Cuiabá e em hospitais que realizam os procedimentos. Outro termômetro que mostra este comportamento é o próprio  mecanismo de busca do Google, que registrou um crescimento de 4,800% apenas em relação à cirurgia plástica do nariz, a informação foi confirmada pela SBPC (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). O aumento pela procura tem a própria pandemia como causadora, pois a  recuperação sem pressa de voltar ao trabalho presencial  ficou mais possível  diante da política de muitas empresas em adotar o home office.

A escolha de fazer cirurgia plástica devido o afastamento presencial do trabalho foi determinante para a servidora pública, Marilza Márcia Duarte, ela estava planejando o procedimento desde 2017, porem engravidou e teve que adiar, optando operar agora durante a pandemia, realizando três procedimentos estéticos, abdominoplastia, lipoescultura e prótese mamária “Ainda iria esperar mais um pouco, porem preferi agora porque considero mais satisfatório e confortável prolongar o período de repouso em casa, nas férias seriam apenas 30 dias, achava pouco tempo diante dos procedimentos que fiz. E ainda, por conta da pandemia, pude contar também com o apoio e a ajuda da minha filha,  que também esta trabalhando home office, então me senti influenciada a fazer diante do isolamento, para mim foi assertiva esta escolha”, revela a servidora.

Outros fatores também explicam essa procura, de acordo com o cirurgião plástico Eduardo Sauter, durante a quarentena, no período de março a maio, houve a diminuição de procedimentos já que a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica conforme orientações do Conselho Federal de Medicina  e Associação Médica Brasileira, recomendou aos médicos associados a suspensão de atendimentos presenciais e cirurgias eletivas.

Foto: Cirurgião plástico Dr. Eduardo Sauter (Reprodução/O Livre)

“Muitos pacientes ficaram com receio de que os procedimentos estéticos ficassem suspensos novamente, diante deste risco quem planejava um procedimento optou por fazer de forma quase imediata. Este efeito fez aumentar a busca por todos os procedimentos que realizo, no entanto, a campeã foi a  lipoaspiração, seguida na sequência por abdominoplastia e em terceiro prótese mamária. Claro que o efeito pandemia mexeu com o emocional da grande maioria, a busca por se sentir melhor, transforma-se e realizar sonhos  foi despertado, as pessoas não queriam mais deixar pra depois, aquilo que poderiam realizar em um período mais curto”, explica o médico.

Outro fator que o profissional também pondera é o fato de que a pandemia impossibilitou ou restringiu as atividades desportivas, o que contribuiu para o ganho de peso e consequentemente a insatisfação maior com a aparência. “Neste contexto existe ainda um outro fator determinante o protocolo eficaz de biossegurança nos hospitais que realizam os procedimentos devido a pandemia. “Em Cuiabá e também nos hospitais do interior do Estado 100% dos pacientes precisam comprovar que não estão contaminados com a Covid-19, além de todo o protocolo, laudos e risco cirúrgico que já eram exigidos, o exame PCR é exigido, e existem prazos estabelecidos da coleta do material. Esta medida trás mais segurança tanto aos pacientes quanto aos profissionais envolvidos, e zera a chance de um paciente ter complicações cirúrgicas devido a Covid-19”, explica Sauter.

Foto: Paciente Marilza Duarte (Reprodução/O Livre)

Ainda em relação  o médico explica que pode ser frustrante para o paciente que é pego de surpresa com o resultado positivo para a Covid-19, e sendo assim a cirurgia é cancelada, para posterior remarcação. “Durante todo o período da pandemia que ainda segue, tive apenas um caso de paciente que testou positivo, nesse caso o procedimento foi remarcado, ou seja, é bem pequeno o número de paciente que testa positivo para a Covid antes da cirurgia”, enfatiza.

O protocolo, segundo, o cirurgião mostra a seriedade em que cada caso é tratado. No entanto este recorde pela busca de procedimentos deve continuar em alta, a segurança e inovação de técnicas despertou ainda mais o desejo por mudanças na face ou no corpo.  O mesmo cenário com alta demanda não ocorreu apenas no Brasil, nos Estados Unidos, Coreia do Sul e Austrália, houve maior busca de tratamentos como botox, rinoplastia e lifting facial.

 

 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVai fazer o Enem? Listamos plataformas online gratuitas que podem ajudar
Próximo artigo“Nunca quebrei uma raquete em toda minha carreira”, diz Nadal