Contas do trimestre: deputados federais por MT quase dobraram os gastos com divulgação de atividades

Lista é puxada por Nelson Barbudo (PL), que gastou quase R$ 100 mil, entre janeiro e março, para aparecer nas mídias

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Três deputados federais de Mato Grosso praticamente dobraram o gasto de dinheiro público no primeiro trimestre com investimento na divulgação das suas atividades na Câmara Federal. O campeão de aumento foi Nelson Barbudo (PL).

De janeiro a março de 2021, Barbudo informou despesas de R$ 45,9 mil ao financeiro da Câmara Federal; nos mesmos meses deste ano, a quantia subiu para R$ 158,8 mil, um acréscimo de 246% nas despesa, que por pouco não triplicou. 

O dinheiro destinado para divulgação das atividades parlamentares cresceu em proporção semelhante. Em janeiro do ano passado, ele informou R$ 10,5 mil; em janeiro deste ano foram gastos R$ 44 mil. A diferença se manteve na comparação entre os meses de fevereiro. 

O aumento foi menor no mês passado. A diferença foi de R$ 3,5 mil, com R$ 10,5 mil em março de 2020 e R$ 14 mil em março deste ano. 

Rosa Neide (PT) também passou a gastar mais com a divulgação de suas atividades, o que fez os gastos no primeiro trimestre subir de R$ 70,1 mil para R$ 134,7 mil. 

Os gastos mensais nessa atividade específica também quase dobraram. Em janeiro de 2020, houve gasto de R$ 9,2 mil e neste ano, R$ 15,3 mil. Em fevereiro a diferença foi menor, com aumento de R$ 11 mil para R$ 12,5 mil. 

Mas, no mês passado o gasto quase triplicou. Em março de 2021, Rosa Neide informou gasto de R$ 10,5 mil e em 2022, gasto de R$ 30,3 mil. 

O terceiro na lista foi José Medeiros (PL). Em janeiro e fevereiro do ano passado, ele não informou gastos com divulgação das atividades parlamentares. Nos mesmos meses deste ano, as despesas ficaram em R$ 15 mil, em cada mês. 

Para março, o gasto em 2021 foi de R$ 10 mil e em março de 2022, R$ 15 mil. A soma total dos gastos deles no primeiro trimestre variou de R$ 87,7 mil para R$ 155 mil.

O dinheiro para a divulgação de atividades parlamentares faz parte de verbas extras que os deputados federais têm para auxílio das atividades de mandato, fora o salário de R$ 33 mil.

O que disseram os deputados?

Em contato com o LIVRE o deputado José Medeiros afirmou que a realidade não seria “verbas extras e mais o salário”.

“Isso dá a entender que vem algo para o bolso do congressista além do salário. São coisas totalmente diferentes, verba de gabinete é para despesa em serviço do mandato. Quando o deputado viaja, pode pegar nota e ser ressarcido pelas refeições, eu já nem pego pago do meu bolso para não ter que ir para página de jornal por causa de um prato de comida”, afirmou o deputado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBebê recém-nascida morre ao ser abandonada embaixo de ponte em Cuiabá
Próximo artigoCom apoio de Bolsonaro, Damares confirma pré-candidatura ao Senado