|Quinta-feira, 24 maio 2018

    Consumidores reclamam porque não sabem economizar, afirma diretor da Águas Cuiabá

    COMPARTILHECOMPARTILHE

    Ednilson Aguiar/O Livre

    Marcelo Padeiro

    Marcelo Oliveira, diretor da Águas Cuiabá, diz que até 2019 a empresa vai tratar 58% do esgoto de Cuiabá

    O presidente da Águas Cuiabá, Marcelo Oliveira, afirmou nesta segunda-feira (04) que a maioria das reclamações dos consumidores sobre cobrança abusiva é resultado de um uso desregrado da água. Segundo ele, a empresa atende hoje 55% da cidade com água 24 horas por dia – e que por conta disso é preciso fechar a torneira e economizar.

    Na avaliação de Oliveira, o cuiabano precisa rever os hábitos de consumo de água, ainda mais em um momento em que, segundo ele, a concessionária contempla mais da metade da cidade com o serviço. Com a CAB, a água chegava de maneira intermitente apenas em 33% dos imóveis da capital.

    “Toda vez que nós trabalhamos, que disponibilizamos água para a população, o que vai acontecer é que a população tem que fiscalizar o próprio consumo. Porque o relógio vai passando. Eu recebo a reclamação e vou ver o relógio. Se está passando no relógio o que eu vou fazer? O que está acontecendo é que as pessoas antigamente não tinham água 24 horas – e agora têm. Estão sempre com o reservatório cheio. Eu falo sempre para as pessoas o seguinte: você tem que fiscalizar o seu consumo”, sugeriu Marcelo.

    Nos três primeiros meses de atuação da nova empresa, o Procon estadual já registrou 986 registros de reclamações contra a Águas Cuiabá. Desse total, 909 registros são sobre cobrança abusiva ou indevida na fatura da água. Os dados são calculados desde o dia 2 de agosto, quando a concessionária entrou em operação.

    Cisterna
    Uma das alternativas para otimizar o consumo, segundo Oliveira, seria a construção de cisternas e reservatórias de água da chuva nas residências. A água poderia ser aproveitada para regar jardins, lavar a casa e outras tarefas do tipo.

    “Não é uma alternativa para economizar, é até melhor que isso. Se você começa a pegar água da chuva, você vai diminuir um problema lá na frente. Muitas cidades hoje estão guardando água da chuva, porque você acaba ajudando a própria prefeitura a diminuir os alagamentos. E você tem uma água guardada, uma água limpa. O Nordeste inteiro faz isso.”, comentou.

    Investimentos

    Marcelo foi o responsável pela intervenção na concessionária CAB, que resultou na dissolução da empresa e na criação da Águas Cuiabá, para a qual foi indicado como diretor. Na época, a intervenção da prefeitura rendeu lucro para a concessionária, mas o prefeito Mauro Mendes preferiu continuar mantendo o serviço terceirizado, sob a justificativa de que uma empresa privada conseguiria fazer investimentos mais vultuosos do que o poder público.

    A Águas Cuiabá firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público e a prefeitura de Cuiabá, em que precisa cumprir uma série de exigências para seguir operando. A empresa precisa, principalmente, investir no tratamento da água e do esgoto e na universalização do acesso à água.

    A ideia é que até 2019, após cumprir o prazo de 18 meses do TAC,  a empresa passe a coletar e tratar 58% do esgoto da cidade. Atualmente, apenas 33% dos resíduos líquidos de Cuiabá são tratados.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your name here
    Please enter your comment!

    DESTAQUES

    Profissionais do sexo denunciam comerciante que as chamou de “putas”

    Desembargador diz não ver crime de estupro por vítima estar bêbada e ter tido...

    Cinco pessoas morrem e 10 ficam feridas em acidente envolvendo dois carros em MT

    Em protesto, Chopp será vendido pela metade do preço em Cuiabá

    X