Consumidor tem que estar informado para não precisar reclamar, diz advogado

E não são só os clientes, empresários têm que estar capacitados para evitar prejuízo depois

No centro da cidade clientes já estão em polvorosa para efetuar compras de Natal (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Mais do que simplesmente reclamar depois que o problema já aconteceu, o consumidor precisa estar cada vez mais consciente para não cair em situações que podem acabar no Procon. A dica é do advogado Jeferson Moreira de Lima, presidente da Comissão de Direito do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Sinop (500 Km de Cuiabá).

No Dia do Consumidor, comemorado no dia 15 desse mês, ele conversou com a reportagem do LIVRE e disse que a principal ferramenta para isso é a informação. Mais, pontuou que não só os clientes, mas os empresários precisam estar atentos para evitar prejuízos. Nesse contexto, as promoções podem passar de aliadas para ambos os lados – quem compra economiza, quem vende, vende mais – a vilãs.

“É preciso ficar atento a divergências de divulgação de uma promoção. A mais baixa vence sempre”, destaca Jeferson Moreira, que também faz para um alerta para as compras pela internet: “mesmo que o produto tenha adquirido em promoção, o consumidor tem, sim, o direito de arrependimento em sete dias, sem custo de transporte da mercadoria”.

Presidente da Associação Comercial de Sinop (ACES), Klayton Gonçalves diz que a entidade tem oferecido capacitação para que os comerciantes não cometam erros que possam levar a queixas por parte dos consumidores.

“Antigamente existia um uso errado de promoções. Hoje em dia, com a facilitação de acesso a informação, esse problema tem diminuído”, afirma. “Nós também temos trabalhado em conjunto com entidades para capacitar os comerciantes e falar sobre os malefícios da propaganda errada. Na verdade, o lojista tem percebido que uma má oferta pode mais prejudicar do que trazer benefícios financeiros”, completa.

Gerente de loja que aderiu às promoções do Dia do Consumidor, Tiago Altíssimo, diz que datas comemorativas ajudam, sim, a atrair mais clientes, mas que nem só preços baixos são oferecidos.

“Estamos sempre em busca de atrativos para os clientes e a data nos faz refletir sobre como oferecer mais benefícios, com um custo diferenciado. As grandes promoções já não são mais tão viáveis, porque temos usado uma margem de lucro menor, então, investimos também na experiência da compra e no custo-benefício para o cliente”, ressalta.

Enquanto isso em Cuiabá…

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSTJ: esposa não precisa mais dividir pensão com a amante do marido
Próximo artigoApós perseguição policial, jovem abandona moto e finge ter sido roubado