Conselho Nacional suspende auxílio-saúde a promotores de Justiça de MT

Valor de até R$ 1 mil não poderá ser pago até nova decisão, que mostre ausência risco financeiro para o MP

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) suspendeu o ato administrativo do Ministério Público de Mato Grosso que concedeu auxílio-saúde a seus membros e servidores. 

A decisão é do conselheiro Sebastião Vieira Caixeta, que havia dado prazo de 24 horas para o procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, se manifestar sobre a ajuda de custo. 

O pagamento está suspenso em caráter provisório (liminar) até a nova decisão do conselheiro. O acionamento do Ministério Público ocorreu após representação de controle administrativo instaurada por outro conselheiro, Valter Shuenquener. 

Shuenquener alega “risco de dano irreparável ou de difícil reparação” com a institucionalização do auxílio-saúde. 

LEIA TAMBÉM

O ato administrativo, baixado na segunda-feira (4) pelo Ministério Público, normatiza o pagamento da ajuda financeira no modelo de indenização a procuradores, promotores e servidores, comissionados ou efetivos, com plano de saúde. 

O órgão passa a contribuir com entre R$ 500 e R$ 1 mil por mês com membros e servidores que tiveram gastos particulares com serviços de saúde. 

No parágrafo 1ª do artigo 3 está previsto ainda que a ajuda será paga em cota única.

Em nota divulgada nesta sexta-feira, o Ministério Público diz que respeita a decisão liminar e que aguardará o julgamento do mérito da ação, “ciente de que agiu dentro da legalidade”. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDefensoria cita centralização de UTIs e pede que governo atualize plano contra covid-19
Próximo artigoO que te faz se sentir vivo?

O LIVRE ADS