Congresso discutirá as vantagens do sistema de Integração Lavoura-Pecuária

O evento reunirá pesquisadores, agricultores, pecuaristas, estudantes e profissionais ligados ao agro

Foto: Assessoria

O papel da pecuária dentro do Sistema de Integração Lavoura Pecuária (ILP) será tema principal do 9º Simpósio Nutripura, que será realizado nos dias 28 e 29 de junho, em Rondonópolis (215km de Cuiabá). O evento reunirá pesquisadores, agricultores, pecuaristas, estudantes e profissionais da agropecuária, que discutirão os benefícios que o sistema ILP pode trazer para o agronegócio mato-grossense.

Com mais de 30 milhões de cabeças de gado, Mato Grosso é o responsável pelo maior rebanho do Brasil e por isso assuntos como a diversificação na produção da propriedade, redução no custo de formação das pastagens, aumento de produtividade e renda, tanto no setor da agricultura, quanto na pecuária, ganham importância.

O simpósio também vai abordar temas importantes como a rentabilidade do sistema de produção como um todo, inclusão de novas ferramentas e tecnologias, resultados de pesquisas, gestão, informações de mercado e palestras motivacionais.

As inscrições para participar do evento já estão abertas e o primeiro lote segue até o dia 15 de maio. O simpósio vai reunir alguns dos maiores especialistas em pecuária do Brasil e do mundo, em um dia com palestras e mesa redonda e, outro, com um dia de campo. O evento é uma realização da empresa Nutripura, que neste ano completa 17 anos de existência.

De acordo com o organizador do congresso, Lainer Leite, o principal objetivo do evento é apresentar à cadeia produtiva as vantagens de se utilizar a ferramenta integração lavoura pecuária.

As inscrições para o 9º Simpósio podem ser feitas pelo site www.nutripura.com.br.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMilitares acusados de matar tenente da PM são soltos pela Justiça
Próximo artigoToffoli: parâmetros para uso de redes por juízes não são mordaça