Congresso aprova R$ 46,5 milhões a mais para compra de urnas eletrônicas

Justiça Eleitoral vai gastar mais de R$ 800 milhões para trocar máquinas com modelo defasado para as eleições de 2022

O Congresso Nacional aprovou crédito suplementar de R$ 46,5 milhões ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a compra de urnas eletrônicas em 2022. A transferência será feita via Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN 25/2021) no valor total de R$ 47,4 milhões. 

Outros R$ 879 mil vão para reforma do Anexo 3 do edifício-sede do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. 

O TSE irá substituir máquinas fabricadas em 2006 e 2008, cuja vida útil está esgotada. O valor do contrato, assinado com a empresa Positivo Tecnologia, é de R$ 799 milhões. 

Em 2020, o TSE desembolsou R$ 241 milhões para a compra de 54 mil urnas. Cada máquina custou R$ 4,4 mil. Cerca de 577 mil urnas devem ser usadas eleições do próximo ano. 

Nova urna 

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, apresentou na semana passada a urna que será usada nas eleições de 2022.  

Segundo o tribunal, as máquinas terão novidades em termos de acessibilidade, uma voltada para pessoas com deficiência visual, e outra para pessoas com deficiência auditiva. A sintetização de voz foi aprimorada para as eleições do próximo ano.  

Agora também serão falados os nomes de suplentes e vices, e será possível cadastrar um nome fonético. Além disso, será incluída una apresentação de um intérprete de Libras na tela da urna, para indicar quais cargos estão em votação. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSaída de secretário
Próximo artigoPositivismo, Jus naturalismo e ativismo jurídico