Confira como fica o cotidiano de Cuiabá com o regime de isolamento

Só serviços essenciais podem continuar sendo prestados. Mas o que é considerado essencial de acordo com os governos?

(Foto: Ednilson Aguiar / O LIVRE)

Cuiabá entrou nesta segunda-feira (23) oficialmente no regime de isolamento para prevenir a disseminação do novo coronavírus. Inicialmente, por 15 dias – ou seja, até 5 abril – as linhas de ônibus terão menos veículos nas ruas e o comércio de uma forma geral estará fechado. 

Atividades consideradas essenciais para a população, entretanto, ainda serão mantidas. E para esclarecer o que entra na classificação de “essencial”, o LIVRE fez uma lista.

1. Transporte coletivo 

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre) Ônibus em Cuiabá e Várzea Grande circulam com frota máxima de 30% a partir de hoje

A suspensão total da circulação dos ônibus em Cuiabá chegou a ser anunciada no fim da semana passada pela Prefeitura. Nenhum veículo circularia a partir desta segunda-feira. 

Contudo, nesse domingo (22), o juiz plantonista no Fórum de Cuiabá, Onivaldo Budny, determinou que ao menos 30% da frota rodasse durante o tempo do regime de isolamento. 

Conforme a Associação Mato-grossense do Transporte Público (MTU), 110 carros estão em circulação em Cuiabá e 40 em Várzea Grande, o que representa os 30% de cada frota. 

Há recomendação ainda para que as recargas do cartão de transporte sejam feitas pelo Recarga Fácil, na página da AMTU. 

Cerca de 270 mil pessoas usam transporte coletivo na Grande Cuiabá. 

Já as empresas que atuam no transporte intermunicipal estão autorizadas por decreto do governo do Estado, a suspender suas atividades. 

2. Transporte particular

(Foto: Reprodução)

Motoristas de táxis e de aplicativos de transporte particular estão autorizados a rodar durante o período de isolamento.

Alguns cuidados, entretanto, devem ser seguidos. Os passageiros só podem usar o banco de trás dos carros, por exemplo.

Há ainda a recomendação para que os motoristas limpem os veículos a cada viagem finalizada. As maçanetas das portas são o principal ponto do carro com o qual tomar o cuidado. 

Trafegar os vidros abertos, ao invés de usar o ar-condicionado, também entre as medidas que devem ser adotadas.

3. Comércio 

decreto baixado pelo prefeito Emanuel Pinheiro sobre o fechamento de estabelecimentos comerciais abrange shopping centers, restaurantes, bares, lanchonetes e congêneres, templos, igrejas, academias, clubes e similares, bem como feiras livres e exposições.  

Todos estão proibidos de abrir para atendimento ao público. No caso dos restaurantes, o serviço de delivery ainda é permitido.  

Apenas comércios de bens essenciais atendem no centro de Cuiabá (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Postos de combustíveis estão autorizados a funcionar de segunda-feira a sábado, das 7h às 19h. A abertura aos domingos e feriados está vetada. 

Na lista dos estabelecimentos que vendem bens essenciais estão: supermercados, farmácias, padarias, açougues, funerárias, agências bancárias, distribuidores de água e gás, serviço de segurança privada e lojas de materiais de construção. 

4. Hospitais 

Hospitais públicos e privados poderão manter as portas abertas para receber o público.

O mesmo vale para unidades menores, como postos de saúde e Unidade de Pronto Atendimento (UPAs).

Clínicas médicas e laboratórios para realização de exames também continuam funcionando.

No caso de clínicas de dentistas e veterinários, só serviços de urgência e emergência devem continuar a ser prestados.  

5. Órgãos e espaços públicos 

Parques, museus, bibliotecas e espaços de convivência e lazer, de forma geral, estão fechados em Mato Grosso. A medida vale até mesmo para espaços abertos e amplos, como o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães.

Parque das Águas, em Cuiabá (Foto: Arquivo)

O Poder Judiciário como um todo está parado – a ordem vale por 30 dias – no que diz respeito ao atendimento ao público. Prazos processuais foram adiados.

Outras instituições que lidam com o Direito, como a Defensoria Pública, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o Ministério Público também suspenderam os atendimentos presenciais. 

Os funcionários desses órgãos trabalham via home office. 

No governo do Estado, as secretarias terão a redução da presença de servidores em seus prédios. Em parte delas, foi adotado um sistema de rodízio dos funcionários. Mesmo assim, a determinação é suspender o atendimento ao público até o dia 5 de abril.

6. Escolas e universidades 

O ensino público municipal e estadual está suspenso pelos próximos 15 dias, mas prazo também é provisório, podendo ser estendido, caso o quadro da doença se agrave nos próximos dias. 

Em Cuiabá, cerca de 54 mil estudantes do ensino básico – da pré-escola ao sexto ano – estão fora da escola. Algumas unidades vão liberar semanalmente tarefas para os alunos fazerem de casa. 

A suspensão das atividades também inclui creches e Centros Municipais de Ensino Inicial (CMEIs). 

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Na rede estadual, que inclui as escolas municipais administradas pelo Estado, conforme a Secretaria de Educação (Seduc), 390 mil alunos não irão para a escola.

Na rede privada, pelo menos sete escolas de Cuiabá anunciaram paralisação da atividades ainda na semana passada.  

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e a particular Universidade de Cuiabá (Unic) também estão sem aula. 

7. Cultos, bares e academias 

Tanto o governo do Estado quanto a Prefeitura de Cuiabá proibiram a aglomeração de pessoas em igrejas, templos, bares, boates e academias. Ainda não há prazo de quando eles voltarão a funcionar. 

Empresas privadas também deverão suspender eventos e a recomendação geral para os empregadores é que adotem o sistema de trabalho remoto sempre que for possível.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS