Condenado por matar a esposa no PR é encontrado 13 anos depois no interior de MT

Ele foi condenado a 18 anos de prisão, pelo crime que aconteceu em 2006, mas criou uma nova vida

Um homem de 57 anos, condenado pela Justiça do Estado do Paraná por assassinar a esposa, recomeçou a vida no município de Salto do Céu (370 km de Cuiabá), criou uma identidade falsa e chegou a dar entrada, em 2018, com o documento falso, no pedido de aposentadoria junto ao INSS.

A história de José Teófilo foi descoberta na última sexta-feira (6), quando ele foi preso pela Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso em uma comunidade de Salto do Céu.

Conforme informações da Polícia Civil do Paraná, José Teófilo assassinou a esposa, Maria Helena Brunetta, em Mamborê (PR), no dia 7 de março de 2006, com golpes de faca.

Depois do crime, ele fugiu da cidade. Ele foi condenado a 18 anos de prisão, mas não havia sido encontrado desde então.

A Polícia Civil do Paraná, no entanto, nunca deixou de procurar por José Teófilo e, agora, descobriu que ele estava morando em Salto do Céu (MT) – cidade onde possuía parentes – e que havia criado uma identidade falsa, passando a chamar-se José Bento da Silva.

Em continuação das investigações, a Delegacia de Rio Branco descobriu que José Teófilo estava morando em uma comunidade rural chamada Salto das Nuvens – e que não só tinha um novo nome, como todos os documentos com essa nova identidade.

Os policiais pediram um mandado de prisão e, assim que a Justiça do Paraná decretou, policiais civis de Mato Grosso foram até o endereço do suspeito e o detiveram.

Ao ser abordado, José Teófilo entregou aos policiais documentos se identificando como José Bento da Silva. Os civis constataram serem documentos falsos e cumpriram o mandado de prisão pelo crime de homicídio qualificado.

O suspeito foi levado para a Delegacia de Polícia de Rio Branco (a 340 km de Cuiabá), interrogado e autuado em flagrante pelo crime de falsidade ideológica e falsificação de documento público (por tentar driblar o Sistema de Previdência Social, uma vez que requereu, em março de 2018, o benefício de aposentadoria junto ao INSS, no nome de José Bento da Silva).

(Com Assessoria)

LEIA TAMBÉM

Homem denuncia mulher por atear fogo na casa e também acaba preso