Condenado por matar a esposa no PR é encontrado 13 anos depois no interior de MT

Ele foi condenado a 18 anos de prisão, pelo crime que aconteceu em 2006, mas criou uma nova vida

Um homem de 57 anos, condenado pela Justiça do Estado do Paraná por assassinar a esposa, recomeçou a vida no município de Salto do Céu (370 km de Cuiabá), criou uma identidade falsa e chegou a dar entrada, em 2018, com o documento falso, no pedido de aposentadoria junto ao INSS.

A história de José Teófilo foi descoberta na última sexta-feira (6), quando ele foi preso pela Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso em uma comunidade de Salto do Céu.

Conforme informações da Polícia Civil do Paraná, José Teófilo assassinou a esposa, Maria Helena Brunetta, em Mamborê (PR), no dia 7 de março de 2006, com golpes de faca.

Depois do crime, ele fugiu da cidade. Ele foi condenado a 18 anos de prisão, mas não havia sido encontrado desde então.

A Polícia Civil do Paraná, no entanto, nunca deixou de procurar por José Teófilo e, agora, descobriu que ele estava morando em Salto do Céu (MT) – cidade onde possuía parentes – e que havia criado uma identidade falsa, passando a chamar-se José Bento da Silva.

Em continuação das investigações, a Delegacia de Rio Branco descobriu que José Teófilo estava morando em uma comunidade rural chamada Salto das Nuvens – e que não só tinha um novo nome, como todos os documentos com essa nova identidade.

Os policiais pediram um mandado de prisão e, assim que a Justiça do Paraná decretou, policiais civis de Mato Grosso foram até o endereço do suspeito e o detiveram.

Ao ser abordado, José Teófilo entregou aos policiais documentos se identificando como José Bento da Silva. Os civis constataram serem documentos falsos e cumpriram o mandado de prisão pelo crime de homicídio qualificado.

O suspeito foi levado para a Delegacia de Polícia de Rio Branco (a 340 km de Cuiabá), interrogado e autuado em flagrante pelo crime de falsidade ideológica e falsificação de documento público (por tentar driblar o Sistema de Previdência Social, uma vez que requereu, em março de 2018, o benefício de aposentadoria junto ao INSS, no nome de José Bento da Silva).

(Com Assessoria)

LEIA TAMBÉM

Homem denuncia mulher por atear fogo na casa e também acaba preso

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA “Religião da Humanidade” guiando a “Política da Fé”
Próximo artigoTrabalho árduo

O LIVRE ADS