Salgadeira já recebeu 23 mil visitantes em dois meses de funcionamento

Administração analisa que as áreas de banho, entre elas a cachoeira, estão menos concorridas do que se esperava

Em dois meses de funcionamento, mais de 20 mil pessoas visitaram o Complexo Turístico da Salgadeira desde que o espaço foi reinaugurado. O número é considerado satisfatório e representa 28% do total de turistas que estiveram nas principais atrações de Chapada dos Guimarães entre janeiro e junho deste ano. Ao todo foram 79.988 pessoas, conforme a publicação Turismo em Números, realizada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

De acordo com o representante da empresa concessionária, Bruno Souza Pereira, foram 15 mil turistas em julho, período de férias escolares, e 8 mil em agosto. Ele analisa que as áreas de banho, entre elas a cachoeira, estão menos concorridas do que se esperava.

A cada hora, os três locais disponíveis têm capacidade para receber 72 banhistas, sendo que em dois meses, foram 10 mil entradas, menos da metade dos visitantes.

[featured_paragraph]Bruno avalia que grande parte dos usuários prefere ficar nas trilhas de contemplação, no restaurante e nas diversas áreas de entretenimento. “Eles geralmente esperam até o final do horário de funcionamento, 18h, para sair. Isto porque, querem tirar fotos nas trilhas com iluminação de LED”.[/featured_paragraph]

Para o próximo mês, a expectativa da empresa é incrementar o número de visitantes com realização de eventos culturais e exposições.

Segundo o titular da Sedec, Leopoldo Mendonça, o resultado positivo está ligado ao modelo de gestão do parque, escolhido de forma assertiva pelo governo e que refletiu na melhoria da qualidade e conforto aos usuários, sem a prática de preços abusivos. “A população estava ansiosa para utilizar a área e tem avaliado de forma positiva as mudanças”.

O complexo estava fechado há 8 anos devido a uma interdição judicial motivada por questões ambientais, e foi inaugurado em 30 de junho de 2018.

Além de atender todas as exigências da lei, o novo projeto acrescenta uma série de inovações, entre elas as trilhas e os espaços para exposições, bem como a contemplação das belezas naturais. A reconstrução custou R$ 12 milhões aos cofres públicos.

Com relação a gestão, o governo fez uma licitação para contratação de uma empresa concessionária, que ficará responsável pela manutenção, investimentos extras, limpeza, segurança e demais serviços, sendo que em troca, terá o direito de explorar os restaurantes, estacionamentos, banho e atrativos em geral.

(Foto: Divulgação)

Preços

Quem quiser chegar ao local de ônibus, a parada é em frente ao espaço. Mas, para quem for de carro, o custo de estacionamento é R$ 10, o dia todo.

[related_news ids=”71873,70245,70563″][/related_news]

Com relação à alimentação, o menu contempla todos os gostos e bolsos, de maneira que as famílias mais numerosas podem optar por uma panela de galinha com arroz, que custa R$ 69 e atende até 4 pessoas. Ainda há opções de lanches, sucos e picolés.

Vale lembrar que, por enquanto, o banho não está sendo cobrado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorArruma um votinho aí
Próximo artigoExpointer: Bayer lança vacina que previne doenças reprodutivas em bovinos