Como “julgar” o Papa que recebeu Lula?

É necessário entender que as obrigações do Sumo Pontífice são primariamente religiosas

(Foto: Ricardo Stuckert)

Eu pensei em usar a palavra “avaliar” neste título, ao invés de “julgar” mas o que vejo é muita gente julgando mesmo o Papa Francisco sem dó nem piedade. Do alto de sua aversão política ao molusco  muitos não se vexam ao proferir xingamentos e impropérios  ao Sumo Pontífice e até, pasmem, fazer ameaças de danação ao inferno!

Ao contrário dessas pessoas indignadas com o encontro em Roma, não me sinto capaz de fazer um julgamento destes nem alguém que tem  a permissão moral ou religiosa para colocar o Papa num tribunal.  E acredito que você também deveria pensar duas vezes antes de fazê-lo.

Tenho que me explicar primeiro que não sou católica. Como muitos evangélicos da minha geração no Brasil, fui criada em família católica e me converti ao Pentecostalismo ainda bem jovem. Quando católica aprendi a venerar o Papa e suas palavras, e como evangélica jovem entendi que deveria desprezá-lo.

Hoje, adulta e madura, não faço nenhuma das duas coisas. Tenho pelo Papa o respeito devido a um religioso que carrega nos ombros o peso enorme de representar a maioria da cristandade mundial.

Além do bairro

Se você é evangélico e acha que o Papa não te representa, eu te aconselho a lançar seu olhar para além do seu bairro e do momento histórico que vivemos hoje. Olhando para a teia da história cristã de dois mil anos, nós, evangélicos brasileiros, nascemos ontem.

O Pentecostalismo como movimento mundial nasceu antes de ontem, e a Reforma Protestante aconteceu há dez anos. Apague-se da história a tradição Católica e o Cristianismo fica reduzido a quase nada.

Se estivéssemos caindo num abismo de secularismo e  contássemos apenas com a tradição evangélica para nos proteger da queda, estaríamos pendurados  numa folha de grama solitária e sem raiz.

Voltando ao Sumo Pontífice, é necessário entender que as obrigações de seu cargo são primariamente religiosas. Suas ações simbolizam a graça e a misericórdia do Senhor Jesus, e seu acolhimento aos pecadores.

Exemplos de João Paulo II

Como Papa, se um pecador lhe pede uma audiência, ele é compelido a dar. Não importa se o pecador é um criminoso que tentou assassiná-lo, como fez João Paulo II, um torturador conhecido e convicto por seus crimes, também João Paulo II, ou um corrupto sem caráter como Lula.

O Papa Francisco conversou por uma hora com Lula. Com certeza um homem que chegou a à posição de supremo líder da maior igreja cristã do planeta sabe interpretar pessoas. Acredito que o mau-caratismo de Lula não é um segredo, mas está escrito em seu rosto. O Papa com certeza soube lê-lo.

Cafezinho inoportuno

O que Lula vai fazer, a maneira como ele vai explorar politicamente o encontro, não é responsabilidade do Papa. Disse o Padre Augusto Bezerra numa postagem no Facebook que o encontro pode ser comparado com “tomar um cafezinho com alguém que bateu na porta inoportunamente”.

Ele se baseia na constatação de que a data não foi colocada na agenda oficial do Papa – e o serviço de fotografia oficial do Vaticano não estava presente. Isto não acontece nos encontros a quem a Cúria Romana confere importância histórica, religiosa ou política. Protocolo é tudo nestes ambientes, e o protocolo que conferiria a Lula uma honra maior nao foi parte do evento.

Mas mesmo que o Papa ignore os problemas de Lula ou do Lulismo, mesmo que a lealdade política de Francisco com a esquerda seja maior que seu bom senso, ainda posso dizer que ele fez o que a sua consciência de líder cristão lhe determinou. Só sei que eu não sou Deus. Não faço suposições sobre a alma do Papa, nem dou à Lula esta importância toda. Ele continua sendo um reles molusco como sempre foi, com ou sem a benção de Francisco.

O Papa  recebeu um reles pecador para ouvi-lo e quem sabe fazer com ele uma oração. Você não faria o mesmo? Se a sua Bíblia te dá razão para defender a rejeição ao pecador, sugiro que troque por outra, porque ela não é a Bíblia cristã.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

8 COMENTÁRIOS

  1. Muito oportuna a primeira parte do artigo ao valorizar a importância do legado cultural e civilizacional católico romano. Já sobre a recepção de Bergolio a Lula, não devemos ser ingênuos. Sim, o chamo de Bergolio não por ser evangélico e não reconhê-lo como “O Vigário de Cristo”, mas pela percepção que tenho a partir dos relatos dos próprios católicos do que tem ocorrido no coração da igreja de Roma. Deixo aqui o link do video de Bernardo Kuster, católico ativista (que inclusive diz ter sido “protestante” no passado) a respeito do assunto, com o qual concordo 100%. Não se trata de julgar o papa. É evidente que seus gestos tem grande valor simbólico e ele deve satisfações sobre os mesmos. No mínimo, se havia algum motivo para que este indivíduo fosse recebido entre milhares de pessoas que desejariam também ser recebidas, seria obrigação do Vaticano declará-lo. E se a visita tivesse caráter pessoal por qualquer motivo, fotos deveriam ser proibidas, já que só serviriam, como estão servindo, a causa de um criminoso que quer continuar praticando crimes em liberdade, fazendo do Papa motivo de chacota de um pais inteiro de mais de 200 milhões de pessoas. Após esse episódio,
    este papa que já tem sua legitimidade questionada por muitos católicos, virou um anão. Ouçam o Bernardo.
    Gravíssimo – Lula encontra Papa Francisco
    https://www.youtube.com/watch?v=tJPmYtj1ntc

  2. Não há como explicar o Papa Receber Lula com afeto, e quando recebeu Trump, ficou de cara amarrada, infelizmente(não é julgamento) sim o papa, acaricia lula que é de um partido assassino, que é a favor da ideologia de genero, a favor do aborto, e muitas outras coisas, já o trump que é a favor da familia, o papa se desfez dele….o Papa é comunista e está se empenhando em destruir a igreja aos poucos…..

  3. É mesmo, sra Braulia, flor legitima.da.religiao.da.prosperidade.de.resultados de ultima hora do relógio histórico,maior que seu bom senso?
    O bom senso foi do juiz Bretas do RJ entao cujo ‘encontro’ com o papa Chico foi forçado, foi na fila de muitas pessoas, e assim mesmo foi OBJETO de uma cobertura longa e elogiosa da rede Gloebels. Que ja estava com equipe a postos no vaticano, aliás….
    Foi uma bandeira de super seletividade ideologica global… em comparaçao com o meio minuto para o maior presidente que o pais ja teve.(engula a realidade, braulita) Que primorosa isençao jornalistica do pântano que ja foi o Jardim Botânico!
    Tambem voce esqueceu, como era conveniente, que o encontro foi preparado pelo presidente da ARGENTINA Alberto Fernandes, a quem o Papa Chico disse que o receberia com muito prazer.
    Pois, pois nao é a toa que os cardeais e bispos norte americanos, em geral, ODEIAM o Chico.
    Ha certas realidades que nao da pra dis.torcer.

  4. Exatamente porque ele representa a Igreja Católica em todo mundo, incluindo o Brasil, deveria se preocupar com que os fiéis pensam sobre o assunto! Acredito que essa preocupação não foi levada em consideração. Não o vejo com os mesmos olhos que o via antes desse encontro. Ressalto que não sou católica e diferentemente de você, ter aprendido a respeitar o líder da Igreja Católica como uma autoridade religiosa.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFuncionária pública é acusada de racismo ao chamar a atual de seu ex de “macaca”
Próximo artigoDesemprego recua e MT está em segundo lugar no ranking nacional

O LIVRE ADS