Comissões da Aprosoja se reúnem para debater avanços do setor

Temas foram da situação da BR-163, que afeta o escoamento da safra, às mudanças na cobrando Fethab, que impacta no custo da produção

Foto: Assessoria

Representantes das comissões de Sustentabilidade, Defesa, Política Agrícola e Logística da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) se reuniram, na quinta-feira (7), para debater assuntos inerentes ao setor de produção de alimentos. As pautas das reuniões contemplaram temas como: problemas de logística e infraestrutura, aspectos econômicos, projetos de lei que impactam o setor, entre outros.

Dentre os assuntos debatidos durante a explanação da comissão de Defesa Agrícola estão o início da rodada técnica dedicada ao plantio de milho. Daniel Pasculli, gerente da área na Associação, enfatizou a importância da participação dos produtores, que terão cinco oportunidades para participar. “Procurem os sindicatos rurais e participem dessa rodada técnica, essa edição se iniciará pelo município de Jaciara (11), depois vamos até Canarana (12), Lucas do Rio Verde (14), Diamantino (14) e Campos de julho (15)”, convocou.

Já a Comissão de Sustentabilidade abordou temas como o decreto que regulamenta cota de reserva ambiental, status das comissões do Instituto Pensar Agro (IPA) e de todos os projetos que a Aprosoja participa dentro do IPA. Além disso, foi apresentado o cronograma do Circuito Tecnológico etapa milho, que será lançado na próxima segunda-feira (11), juntamente com a rodada técnica sobre doença do milho.

Gerente do setor na Associação, Marlene Lima fez ainda apresentação de prestação e planejamento do projeto Guardião das Águas e do Programa Soja Plus, que é o programa de melhoria contínua da Aprosoja. As ações deste ano já iniciam em abril com os cursos de qualidade de vida no campo. Estão programadas 39 capacitações em todo Estado.

“Em parceria com o Senar, iniciamos por Diamantino, no dia 27 e quem tiver interesse procure o Sindicato Rural da sua cidade. É um excelente curso para que o produtor possa se preparar para uma possível fiscalização dos órgãos fiscalizadores, ambiental e trabalhista”, convidou Marlene.

Escoamento e custo de produção

Dentre as principais pautas da comissão de Política Agrícola e Logística, a situação da BR-163 esteve em discussão. Previsão deste ano é que passe cerca de 12 milhões de toneladas pela rodovia, saindo de Mato Grosso com destino ao porto de Miritituba. Conforme os técnicos, principal preocupação é com o trecho não pavimentado.

Também foi discutido o Funrural, mas com olhar para o futuro, tratando do projeto de lei da redução do passivo e com a possibilidade de um novo decreto presidencial, sobre a postergação de prazo e um novo programa de repactuação de dívidas. Outro tema em discussão foi a alteração no Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), válida a partir deste ano.

De acordo com o gerente de Política Agrícola e Logística, Thiago Bras, o maior impacto causado com a mudança do Fethab é na produção de milho. “A análise realizada para fazer o novo cálculo foi equivocada e com certeza irá desacelerar a vontade do produtor de ampliar a produção de milho, que estava incentivando a indústria do etanol de milho no estado. Começaram se instalar indústrias aqui, mas essa notícia ruim gera instabilidade jurídica para os investidores”, explicou Bras.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem que estrangulou e matou universitária a tijoladas vai a júri popular
Próximo artigoAvião com 157 pessoas cai perto da capital da Etiópia