Comandante de Cia da PM é acusado de bater na esposa dentro do batalhão

A confusão aconteceu dentro da sede da 2ª Companhia da Polícia Militar, em São Félix do Araguaia

Ilustrativa / Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A sede da 2ª Companhia da Polícia Militar, em São Félix do Araguaia (1.160 km de Cuiabá), foi palco de uma confusão que envolveu violência contra a mulher e até entre policiais na madrugada desta terça-feira (14).

Conforme um boletim de ocorrência registrado na própria 2ª Cia, o comandante do batalhão, capitão Marcelo de Oliveira Conde, 31 anos, teria agredido a esposa dele, de 30 anos, e um soldado da Polícia Militar, de 32 anos, que tentou acalmá-lo e defender a mulher.

Segundo o relato no boletim de ocorrência, a mulher bateu na porta do batalhão por volta de 0h15 e pediu que um soldado pedisse a chave do carro ao marido dela, o capitão Conde, porque ela queria ir embora.

O soldado, então, escutou o capitão chamando a esposa para que fosse até ele e, percebendo que se tratava de uma discussão, chamou seu superior imediato, um cabo, que estava no banheiro no momento.

Quando o cabo abriu a porta, consta no boletim que o capitão já estava exaltado, puxou a esposa pelo braço e ordenou que ela retornasse ao alojamento.

O cabo, então, pediu que o oficial se acalmasse, mas o pedido surtiu efeito contrário, pois o capitão teria dado um soco no peito do colega de farda, que caiu no chão.

Ao ver a cena, a mulher saiu correndo e o capitão começou a procurá-la no batalhão. Testemunhas disseram que ele chegou a sair armado atrás da esposa.

Quando ele saiu do batalhão para procurar a mulher, ela retornou ao batalhão e pediu que os demais policiais a ajudassem e a escondessem. Um deles, então, a escondeu dentro da casa dele, para protegê-la.

Os superiores foram acionados por telefone, até chegar ao tenente-coronel Escolástico, sub-comandante do 10º Batalhão Regional, que orientou a equipe policial a deixar o quartel, devido à gravidade dos fatos.

Os policiais que estavam de plantão aguardaram a chegada do tenente-coronel em frente à casa de um 2º sargento da PM.

A esposa do capitão foi questionada várias vezes se gostaria de registrar um boletim de ocorrência contra o marido, deixando claro que todos estavam à disposição, mas ela se recusou e disse que somente queria deixar a cidade.

Durante o registro da ocorrência pelo sub-comandante do 10º Batalhão Regional, o tenente-coronel Escolástico, a mulher entrou na sede da 2ª Companhia da PM, pegou as chaves do carro dela e deixou o local, não informando para onde iria.

Consta no boletim de ocorrência que nesse momento foi verificado que ela estava com uma lesão no braço esquerdo.

O capitão Conde está na sede da 2ª Cia da PM, em São Félix do Araguaia, sob a tutela do tenente-coronel Escolástico, que está apurando os fatos. O boletim de ocorrência do caso foi registrado como lesão corporal.

A Polícia Militar informou que “o Comando do 10º CR, com sede em Vila Rica, designou um tenente-coronel para apurar in loco a denúncia de suposta violência doméstica que pesa sobre o capitão da unidade de São Felix do Araguaia”.

Informou ainda que o oficial designado encontra-se no município e “já instaurou Inquérito Policial Militar (IPM)” para apurar a denúncia.

“O procedimento está em trâmite e todas as providências estão sendo adotadas no sentido de esclarecer os fatos”, informou a assessoria da PM.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

  1. Todo mundo sabe que esse conde é do mal, ignorante, adora humilhar as pessoas, tem vários casos violência atribuídos a ele no município, mais como ele mesmo diz que é protegido, essa estória de mandar investigar é pra boi dormir, pois eles são corporativistas e a corda só arrebenta do lado mais fraco…
    Mais uma a sofrer violência e ficar impune, pois todos tem medo de falar alguma coisa dele e ser retaliado.

  2. Olha desde que conheço esse Policial Conde, ele sempre foi violento e agressivo como as pessoas na rua quando ele ia atender ocorrência, me lembro como se fosse hoje, assim que ele chegou em São Félix do Araguaia, esse Policial Conde tocava o terror na cidade, ele batia nas pessoas, ele brigava em festa mais um tal Delegado Vanner, houve varias denúncia contra esse Policial e nada fizeram, até hoje ele continuava na cidade, tomara que o Diabo o carregue pra bem longe de São Félix do Araguaia, nossa cidade não suporta esse tipo de gente..

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorResidenciais populares: obras paradas “chamam” invasores enquanto fila de espera aumenta
Próximo artigoEm busca de melhor rendimento no aprendizado? Conheça as cabines de estudo do Damásio

O LIVRE ADS