Com pendências milionárias, empresa de ração obtém recuperação judicial

Rações Agro Bio diz que empréstimos bancários e crise da covid-19 provocaram colapso financeiro

(Foto: Freepik)

Com dívidas acumuladas em R$ 22,1 milhões, a empresa Trevisol Rações LTDA, também conhecida como Rações Agro Bio, entrou em recuperação judicial.

A autorização foi concedida no dia 10 deste mês pela juíza da 4ª Vara Cível de Sinop (500 km de Cuiabá), Giovana Pasquall de Mello.

Trata-se de um processo que serve para evitar que uma empresa em dificuldade financeira feche as portas. A empresa endividada consegue um prazo para continuar operando, enquanto negocia com seus credores, sob mediação da Justiça.

Agora, a Trevisol Rações LTDA tem 60 dias para apresentar o plano de recuperação para contemplar todos aqueles que têm créditos a receber.

Pelo período de seis meses, todas as ações de execução fiscal, que são dívidas cobradas perante o poder Judiciário, deverão permanecer suspensas.

Para obter a recuperação judicial, a Trevisan Rações LTDA alegou que deu início as atividades no ano 2000, em Sorriso (420 km de Cuiabá), no ramo de fabricação de alimentos para animais, sais minerais e outros suplementos.

A crise financeira foi motivada por empréstimos contraídos com bancos e agravou-se ainda mais a partir de março deste ano, quando foi reconhecida a pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o que levou a uma drástica queda nas vendas por conta do desaquecimento da economia, provocado pelas medidas de isolamento social.

A empresa, no entanto, se queixa que ao longo de 20 anos acabou “refém” de juros e empréstimos realizados por meio de linhas de crédito.

Após a apresentação do plano de recuperação em assembleia, os credores poderão aceitar as propostas para quitação das dívidas, rejeitá-la ou modificá-la. Se eventualmente não houver consenso para pagamento, a Justiça poderá reconhecer a falência da empresa.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPecuária pantaneira: plano de retomada econômica esbarra em inércia de órgão ambiental
Próximo artigoCâmara de Cuiabá ignora restrição e lança edital para concurso público