Com o atraso no plantio da soja, semeadura do milho safrinha precisará ser eficiente

Os discos Apollo, com a tecnologia RampFlow, reduzem até 60% as sementes duplas e falhas no plantio

Foto: Divulgação

Com o tempo adverso registrado nas principais regiões produtoras de soja, a safra 2019/2020 começou mais tarde no Brasil. Mesmo avançando nas últimas semanas, o grande problema no atraso é o estreitamento da janela da semeadura do milho safrinha, cultivado após a colheita da oleaginosa.

Para não ter prejuízo, o produtor precisará ser altamente eficiente e para isso é fundamental começar a se preparar para o plantio do cereal. De acordo com o engenheiro agrônomo Leonardo Vieira, Coordenador de Marketing da J.Assy, a semeadura de milho inicia-se de modo geral em fevereiro, mas a preparação precisa ser pensada desde já.

O primeiro passo é focar no planejamento, deixar a parte de insumos e maquinários prontos, uma vez que a janela de plantio na safrinha é muito curta, com cerca de 30 dias. “O ideal é que até o início de dezembro o produtor tenha todos os insumos já comprados, mesmo não estando na fazenda é importante já ter feito o aporte financeiro, para começar a receber esses insumos (adubo e sementes) no início de janeiro de 2020”, diz o profissional.

Leia também:
J.Assy leva tecnologia brasileira para Alemanha

Após receber as sementes, o próximo passo é programar a compra dos discos de plantio que serão utilizados naquela safrinha. Uma das opções mais eficientes disponíveis no mercado são os discos Apollo da J.Assy. Estes produtos possuem a exclusiva tecnologia RampFlow, que consiste em uma rampa com pequenas estrias em cada furação, facilitando o deslize das sementes e diminuindo o atrito e quebra dentro do dosador.

Os discos contam com uma matéria-prima de alta qualidade que garante mais eficiência e maior vida útil para o produto, e menos dano mecânico na semente. Além disso, a tecnologia utilizada no processo de produção de cada disco, garante a precisão necessária para que não exista variação no diâmetro dos furos. Isso é muito importante para a semeadura, pois além do benefício de reduzir em média 60% de sementes duplas e falhas no plantio, gera uma distribuição uniforme e é livre de deformações e empenamentos.

Escolha do disco

Atualmente, a J.Assy oferece 20 modelos de discos para milho e quatro anéis Apollo. Vale destacar que tão importante quanto à escolha do disco, é a seleção do anel, responsável por ajustar a altura necessária para a perfeita rotação do disco no dosador e consequentemente a distribuição de sementes. A orientação é que a linha Apollo seja utilizada em conjunto. “Com essa combinação conseguimos atender 100% dos lotes de semente de milho presentes no Brasil”, explica o engenheiro agrônomo.

Para a escolha do disco certo é recomendado que o produtor colete uma amostra de cada lote da semente que for utilizar e depois leve na revenda de implementos agrícolas. Esses parceiros estão aptos a escolher os discos e anéis corretos. “Eles recebem as amostras, fazem um teste prático ali na hora, indicando para o cliente a melhor opção”, diz Leonardo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDavid Fincher vai produzir série derivada do clássico filme Chinatown
Próximo artigoConheça os finalistas do Prêmio ABAG de Jornalismo

O LIVRE ADS