Com maioria na Câmara Municipal, Emanuel pode se ‘esquivar’ de investigação

Vereadores aliados a Emanuel Pinheiro podem impedir a abertura de uma investigação política na câmara

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

A proposta de comissão processante parlamentar para analisar a participação do prefeito Emanuel Pinheiro em supostos crimes investigados na Operação Capistrium já nasce morta. A imensa maioria de vereadores na base de apoio na Câmara Municipal deve travar a instalação. 

Hoje, 20 dos 25 vereados em mandato são aliados de Emanuel Pinheiro. E o prefeito interino Roberto Stopa mostrou ontem (20) que conta esse grupo para barrar uma investigação política a Emanuel. 

“Nós temos 20 vereadores que fazem parte da base. Estive com esses 20 vereadores na Câmara e eles têm o compromisso de estar com a gente”, afirmou. 

A comissão processante está sendo cogitada por quatro vereados da oposição – Michelly Alencar (DEM), Dilemário Alencar (Podemos), Marcos Paccola (Cidadania) E Diego Guimarães (Cidadania). 

O argumento deles é que o prefeito afastado “não tem mais condições morais” de administrar o município. A instalação da comissão depende 17 assinaturas de vereadores. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPEC que altera o CNMP é derrotada mesmo com 5 votos de deputados de MT
Próximo artigoPresidente sanciona lei que proíbe sacrifício de cães e gatos saudáveis