Com armas e coletes, bando invade mineradora para roubar cobre e explosivos

Testemunhas afirmam que quatro pessoas estariam envolvidas no caso; dois homens foram presos

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma ação criminosa na noite de sexta-feira (4) causou tensão entre os moradores do município de Nova Xavantina (661 km de Cuiabá). Isso porque quatro pessoas teriam invadido o depósito de explosivos de uma mineradora usando armações pesadas e coletes à prova de balas. A Polícia Militar chegou a montar um cerco para pegar os bandidos, mas eles conseguiram fugir. Eles se entregaram na delegacia horas depois.

Eram por volta das 22h30 de sábado (5) quando a PM foi avisada pela delegacia municipal sobre a invasão na mineradora NX Gold. Segundo o delegado, a equipe foi informada por uma testemunha que um veículo teria invadido a área no dia anterior, quebrado um cadeado e trocado outro. O objetivo seria furtar explosivos.

Quando chegou a noite de sábado, o chefe da segurança da mineradora ligou para a delegacia e avisou que três suspeitos estariam dentro da empresa, em uma área de acesso restrito, usando lanternas e observando a movimentação de um lugar próximo ao paiol, onde ficam os explosivos.

Diante da situação, a delegacia avisou a Polícia Militar, que solicitou reforços da Força Tática de Água Boa, município vizinho.

PM monta um cerco

Com o apoio da Força Tática, os militares foram até a empresa. Segundo o chefe da segurança, a única forma de entrar no paiol de explosivos seria rendendo um dos vigilantes, que o levaria até uma sala para pegar a chave. Ele ainda contou que, por conta da restrição do local, tinha certeza que o veículo dos suspeitos tinha sido o único a entrar no espaço.

Com as informações, a equipe montou uma barreira numa estrada vicinal que dá nos fundos do paiol de explosivos, justamente por onde o grupo entrou na mineradora.

Passado alguns minutos, um veículo saiu da empresa. A PM tentou fazer a abordagem, pedindo que parassem o carro e se rendessem. O grupo, porém, não apenas não obedeceu, como também acelerou o veículo, no intuito de atropelar os militares que se colocaram na frente. Por isso, a equipe atirou.

Alguns metros à frente, o bando abandonou o carro e fugiu para uma mata fechada localizada nas margens da estrada. Os militares fizeram busca na região com lanternas, e, quase duas horas depois, ainda não tinham encontrado nada, até que ouviram o barulho do carro acelerando.

Era o carro dos bandidos, que novamente tentou atropelar dois militares e ainda bateu na porta de uma das viaturas. Os militares ainda tentaram alcançar o veículo, mas não tiveram sucesso.

Prisão de suspeitos

Quando clareou o dia de domingo (6), uma equipe retornou ao local para continuar as buscas e conseguiu encontrar um último suspeito, que havia sido abandonado no mato pelo grupo.

O acusado tentou despistar os policiais, dizendo que vinha de Belo Horizonte (MG) e lá tinha alugado um veículo Renault Duster Oroch com outros três amigos, e que estavam na cidade para “caçar tatu com um facão e armadilha”. No entanto, ele começou a se contradizer sobre datas e os amigos e acabou confessando o crime.

Conforme o suspeito, eles queriam, na verdade, roubar cobre. Ele revelou que um dos colegas é ex-funcionário da mineradora e que tem profundo conhecimento sobre a empresa.

O suspeito mostrou à polícia onde havia escondido os objetos furtados da empresa.

Quando a equipe retornou para a cidade, soube que três dos suspeitos estiveram na delegacia para se apresentar e que um deles tinha sofrido um tiro no lado esquerdo do quadril.