Com 3 anos e meio de pena cumprida, Silval está mais perto do semiaberto

Defesa do ex-governador pediu progressão de pena e aguarda cálculos da Vara de Execuções

Ex-governador Silval Barbosa (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O ex-governador Silval Barbosa está mais perto do regime semiaberto. No domingo (17), ele conquistou o direito de progressão de pena, conforme foi acordado em sua delação premiada, homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. Até o momento, ele já cumpriu 3 anos e 6 meses de prisão, tendo passado 21 meses em regime fechado e os outros 21 meses no domiciliar.

Na sexta-feira (15), a juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Mendes, encaminhou para a Vara de Execuções Penais a guia de execução provisória para cálculo da progressão da pena, considerando os termos firmados com o delator. A defesa do ex-governador também pediu a remissão de 104 dias de pena, o que também aguarda cálculos da Vara de Execuções.

Atualmente, Silval cumpre pena em Matupá (681 km de Cuiabá), para onde pode se mudar após autorização concedida pelo juiz Marcos Faleiros, no dia 18 de dezembro.

O ex-governador também foi autorizado a tirar a tornozeleira eletrônica, depois que a Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) atendeu a um pedido da defesa do ex-procurador Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o Chico Lima, e revogou o monitoramento eletrônico de 17 alvos da Operação Sodoma. No entanto, Silval continuaria sendo monitorado, já que isso está previsto no seu acordo de delação premiada.

Se conseguir o regime semiaberto, o ex-governador ainda deve continuar com a tornozeleira, já que o acordo prevê o fim do monitoramento apenas após a progressão para o regime aberto diferenciado, o que deve ocorrer depois de mais 2 anos e 5 meses no semiaberto.

Agora, o ex-governador aguarda autorização para viajar, de carro, para o casamento de sua filha, em São José do Rio Preto (SP). O pedido está em análise na 7ª Vara Criminal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMP investiga doação de cestas básicas pelo governo e prefeitura de MT em ano eleitoral
Próximo artigoJovem participante de grupo intitulado “Massacre MT” é ouvida em delegacia