Coletores de castanha inauguram unidade de beneficiamento no noroeste de MT

Estrutura foi construída em Cotriguaçu, cidade a 1,2 mil km de Cuiabá. Espaço será usado para descascamento, tratamento, seleção e embalagem

(Foto: ICV/Divulgação)

Coletores de castanha-do-Brasil de Cotriguaçu, município localizado a 1,2 mil km de Cuiabá, realizaram um sonho. Na semana passada, eles inauguram um barracão de beneficiamento e armazenamento do produto.

O espaço, de mais de 800 m², será usado nos processos de descascamento, tratamento, seleção e embalagem da castanha coletada. O grupo é composto por cerca de 40 famílias extrativistas.

“Para a gente, estar aqui é um sonho. É fruto do trabalho, educação, companheirismo agora termos uma garantia de indústria”, comenta Veridiana Vieira, presidente da associação desde 2015.

A inauguração traz ainda mais valor agregado ao produto que, hoje, tem o preço de R$ 11 por kg, mas já custou R$ 0,08. Por vezes, compradores iam buscar o produto no Estado do Pará.

“Cada um coletava em um lugar e era disperso. Era um trabalho difícil. Com a associação, nos organizamos e estamos conquistado tudo isso”, diz o coletor de castanhas Sílvio da Bragança.

A construção é uma realização do Redes Socioprodutivas, projeto implementado pelo Instituto Centro de Vida (ICV) com financiamento do Fundo Amazônia/BNDES.

Manejo sustentável

Cotriguaçu é um dos municípios que integram a região conhecida como “Arco do Desmatamento”.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) de 2018, o município, que tem sua economia baseada na pecuária extensiva e exploração madeireira, teve 22% de sua área florestal total desmatada até 2015.

Demarcado em 1997, o Projeto de Assentamento (PA) Juruena tem cerca de 500 famílias estabelecidas em 30 mil hectares no município. Um estudo do ICV realizado em 2009 mostrou que mais de 40% dessa área havia sido desmatada apenas nos primeiros 10 anos de abertura dos lotes.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrograma Ser Família
Próximo artigoChute alto: média de público dos times de MT não chega a 10% dos estádios