Cinemas e teatros de Cuiabá já podem, mas ainda não sabem quando vão reabrir

Peças precisam voltar a ser ensaiadas e espaços têm que ser adaptados para receber o público cumprindo as novas normas

Imagem Ilustrativa (Foto: Reprodução)

O primeiro setor a fechar e o último a voltar por conta da pandemia de covid-19. As atividades de arte e entretenimento receberam autorização da Prefeitura de Cuiabá para retomar a operação, mas o setor cultural espera um retorno gradual do público.

De prontidão, os espaços culturais – fechados desde o final de março – não devem voltar a funcionar. As datas ainda devem ser definidas. É preciso logística para o funcionamento. Isso porque, o decreto que autoriza a reabertura prevê novas normas.

Uma delas é a lotação. Cinemas e teatros só poderão receber 30% da capacidade total de público. Ainda é preciso garantir o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas.

Também é obrigatório o uso de máscara, oferta de álcool em gel, aferição de temperatura e higienização do local após cada sessão.

LEIA TAMBÉM

“Acredito que o público vai voltar aos poucos”, afirma a gestora do Cine Teatro Cuiabá, Flávia Taques. O espaço planejava o retorno e já adquiriu termômetros e produtos sanitizantes para limpeza de microfones, máscaras e luvas para a equipe.

Com o decreto, o palco principal – que tem 510 pessoas lugares – poderá receber somente 153 pessoas. Já a Sala Anderson Flores, com capacidade menor, terá 24 dos 80 lugares disponível.

Os artistas também devem voltar aos poucos. Durante a pandemia, os ensaios da peças em cartazes foram suspensos.

Os cinemas também devem voltar gradualmente. Segundo o Cinemark, que funciona em um dos shoppings de Cuiabá, ainda não há uma definição para a reabertura. O grupo não precisou demitir os funcionários e deve elaborar um plano para a retomada das atividades.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSesp migra comunicação para formato digital na Baixada Cuiabana
Próximo artigoPromotor admite equívoco e pede desculpas a secretário de saúde de MT