Cineclube Coxiponés exibe filmes históricos para o cinema brasileiro

As obras em preto branco abrangem as décadas de 1920 a 1950 e estarão em cartaz, durante o mês de abril, no cineclube da UFMT

O mês de abril dá início às programações mensais do Cineclube Coxiponés, na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a partir do dia 11, com clássicos que, através do cinema, retratam diversos períodos da trajetória do cinema no país. “Cinema Brasileiro: Um Percurso Alternativo Sobre a História” reúne obras de diversos Estados brasileiros, todas as quintas-feiras, às 19h, no Centro Cultural da UFMT.

A curadoria da sessão é do professor, pesquisador e realizador audiovisual Leonardo Esteves. Trata-se de curtas, médias e longas-metragens produzidos pelos quatro cantos do Brasil, entre as décadas de 1920 a 1950, que visitam fenômenos cinematográficos brasileiros, até o dia 24 de abril.

“Esse ciclo foi uma tentativa de fazer uma programação complementar a disciplina que eu dou no primeiro período da graduação, que é Cinema Brasileiro. Seria uma espécie de estimulo para os alunos conhecerem outros filmes que tivessem fora de uma obrigatoriedade da história. Filmes imprescindíveis que você tem que conhecer”, afirma Leonardo.

Para isso, ele escolheu filmes “alternativos” ao circuito lembrado nas histórias “oficiais”. “A intenção é dar conta, mesmo que superficialmente, de toda uma história do cinema brasileiro, mas a partir de filmes que estariam fora da perspectiva histórica, pouco conhecidos”, complementa. O que não foi uma obrigatoriedade, afinal, também está na programação do ciclo um clássico das famosas “chanchadas”, o filme Aviso aos Navegantes.

O acadêmico do Rio de Janeiro se instala em Cuiabá para integrar a equipe de docentes do novo curso de Cinema da UFMT, que recebeu a primeira turma de estudantes da sétima arte, durante esta semana. No início e ao fim das sessões, que são gratuitas e abertas à comunidade externa a UFMT, ele também conduz o debate sobre as obras propostas.

A primeira sessão, na próxima quinta-feira (04), traz o filme paulista Fragmentos da Vida que, segundo o professor, reflete a mentalidade de fazer cinema na época. Além dele, o mineiro Braza Dormida volta-se a um dos períodos marcantes para a pré-história do cinema brasileiro. Confira a programação completa:

 11/04 

Fragmentos da vida
(1929, José Medina, 30 min, P&B, SP)

Sinopse: Na construção de uma São Paulo que “crescia desafiando as nuvens, levando nessa ânsia incontida o suor de operários humildes”, um trabalhador cai de um andaime e à beira da morte pede para o filho trilhar o caminho da “honestidade, do trabalho e da honradez”. O filho, porém, prefere tornar-se um vagabundo e tudo faz para ser preso afim de sobreviver. As pessoas, involuntariamente, lhe impedem a ação. Quando finalmente decide “tornar-se digno pelo trabalho”, o vagabundo cai nas mãos da polícia e é preso sob falsa acusação de roubo.

Braza Dormida
(1928, Humberto Mauro, 97 min, P&B, MG)

Sinopse: Luis, estróina carioca, é contratado por um usineiro mineiro para substituir o vilão Pedro Bento na gerência da usina. Apaixona-se por Anita, filha do usineiro. Cartas anônimas de Pedro levam o namoro, mantido em segredo, ao conhecimento do usineiro, que não aceita o casamento por não conhecer a família de Luis e afasta sua filha da usina. Prossegue o namoro em segredo. Pedro, por vingança, dinamita a chaminé da usina. Pedro e Luis enfrentam-se numa luta que leva à morte do vilão. O usineiro, que ficou sabendo da família de Luis, autoriza o casamento.

 18/04 

O Ébrio
(1946, Gilda de Abreu, 125 min, P&B, RJ)

Sinopse: Jovem do interior com grande talento para a música e boa situação financeira, Gilberto Silva se vê totalmente despossuído quando seu pai perde a fazenda. Sem o apoio dos parentes, o rapaz migra para a cidade grande, perambulando pelas ruas até que, desesperado, ao entrar numa igreja, o padre ouve seus pedidos de ajuda e convida-o para viver no anexo da sacristia. O religioso incentiva-o a procurar um emprego e, também, a explorar as suas habilidades artísticas. O grande sonho de Gilberto, porém, é entrar para a faculdade de medicina.

 24/04 

Aviso aos navegantes
(1950, Watson Macedo, 113 min, P&B, RJ)

Sinopse: Um luxuoso navio parte de Buenos Aires com destino ao Rio de Janeiro. A bordo está Cléo, a dançarina cortejada por Alberto, o imediato do navio, e o príncipe Suave Leão. Frederico é um clandestino que viaja sem passaporte e é surpreendido por Azulão, cozinheiro da embarcação que passa a explorar a situação. No meio da viagem um comunicado alerta para a presença de um perigoso espião entre os passageiros que precisa ser detido. Para capturá-lo, todos se unem, dando início à uma série de perseguições intercaladas por números musicais e desencontros amorosos.

 05/04 

O Saci
(1953, Rodolfo Nanni, 64 min, P&B, SP)

Sinopse: Pedrinho, Narizinho e a boneca de pano Emília vivem no sítio do Pica-Pau Amarelo, com sua avó Dona Benta e Tia Anastácia. Pedrinho costuma ir à casa de Tio Barnabé para ouvir histórias do Saci, um negrinho endiabrado de uma perna só, que vive na floresta. Ao sair em busca do Saci, Pedrinho consegue aprisioná-lo numa garrafa, enquanto Narizinho, que passeia pela floresta, é transformada numa pedra por uma feiticeira. Pedrinho liberta o Saci da garrafa. Este o convida a assistir um ritual de sacis à meia-noite na floresta. Uma ave avisa-lhes o que aconteceu com Narizinho. Porém, o Saci conhece um método para desfazer o feitiço. Depois de terem conseguido, o Saci se despede de Pedrinho e de Narizinho, prometendo voltar um dia para visitá-los.

O canto do mar
(1953, Alberto Cavalcanti, 83 min, P&B, SP/PE)

Sinopse: No litoral nordestino, que acolhe imigrantes do sertão à espera de viagem para o Sul, o drama de uma família em desestruturação, devido a problemas financeiros e psicológicos motivados pela miséria.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pela iniciativa de resgatar e divulgar filmes tão preciosos e imprescindíveis para valorização do cinema nacional!
    Que o público faça um bom proveito do evento e possa se orgulhar de um Brasil criativo e potente!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEspetáculo espirita será encenado na capital no feriado da paixão
Próximo artigoDilmar Dal Bosco supera crise com DEM e defende Jayme Campos para governador