Cinco pessoas são presas por manter adolescente presa e abusar sexualmente dela

Eles aproveitaram que a vítima precisava de ajuda, levaram ela para uma casa e a mantiveram presa no local

Um grupo de jovens foi preso no fim da noite dessa sexta-feira (13), acusado de manter uma adolescente de 17 anos em cárcere privado no Bairro Jardim Planalto, em Confresa (1160 km de Cuiabá).

Conforme informações da Polícia Militar, uma pessoa parou uma viatura da PM próximo a um bar e disse ter visto quatro homens mantendo uma adolescente presa para ter relação sexual com ela. A garota estaria sob poder deles desde a manhã de sexta-feira.

A equipe foi até a casa indicada pela denunciante e encontrou uma motocicleta entrando em uma residência. Eles seguiram o motociclista e também entraram no local. Lá,  encontraram quatro jovens – dois de 18, um de 21 e um de 23 anos – deitados em um colchão com a vítima.

Enquanto os policiais revistavam o local, uma jovem de 19 anos chegou. Ela tentou fugir, mas acabou também presa por acobertar o crime.

Um dos militares que atendeu a ocorrência disse que a vítima contou não ser de Confresa, mas de Santa Cruz do Xingu (1245 km de Cuiabá), e que estava em busca de ajuda para voltar para casa, visto que não tinha parentes na cidade.

“Tentamos localizar a família dela, mas não obtivemos êxito. Ela fala que veio para Confresa há alguns dias e queria ir embora, mas precisava de dinheiro e os rapazes ofereceram ajuda para ela e a mantiveram dentro dessa residência”, disse o tenente.

“Provavelmente estavam tendo relação com ela e, pelo visto, acho que ela também é usuária de entorpecente”, completou o militar.

Segundo os policiais, dentro do imóvel havia cheiro de uso de drogas. Dois dos jovens detidos haviam sido presos um dia antes por tentativa de homicídio, mas já estavam soltos.

“Na verdade, eles usaram da fragilidade dela, de não ser de Confresa, e mantiveram ela dentro da residência para poder ter relação sexual e oferecer drogas”, lamentou o policial.

Todos os acusados foram levados para a delegacia, onde o caso foi registrado como aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio de comunicação, criança, com fim de com ela praticar ato libidinoso.

Também foi registrada uma acusação de adulteração de sinal identificador de veículo automotor, referente a motocicleta encontrada no local.

Como a família da adolescente não foi encontrada, ela ficou sob cuidados do Conselho Tutelar.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS