Cinco deputados federais de MT votaram a favor da PEC do voto impresso

Dois deputados votaram contra e um se absteve; reações ao resultado foi diversa em redes sociais após a sessão

TSE - Tribunal Superior Eleitoral Urna eletrônica

Cinco deputados federais de Mato Grosso votaram pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso, em sessão na Câmara Federal, na noite desta terça-feira (10).

Ao todo, o projeto teve 229 votos e favor e 218 contra, mas foi derrotado. Eram necessários, no mínimo, 308 votos para ir para segunda votação.

Foram a favor da PEC os deputados mato-grossenses Emanuel Pinheiro Neto (PTB), Juarez Costa (MDB), Neri Geller (PP), José Medeiros (Podemos) e Nelson Barbudo (PSL). 

O voto contra foi de Valtenir Pereira (MDB) e Rosa Neide (PT). O deputado Leonardo Albuquerque (SD) não registrou voto.  

Com o resultado, o presidente da Câmara Federal, deputado Arthur Lira (PP-AL), disse que o debate sobre a uso obrigatório do voto impresso, mecanismo complementar ao voto eletrônico, foi encerrado na Câmara. 

“Não teríamos nem tempo, nem espaço para retomar esta questão neste ano”, afirmou. 

Reações 

Nas redes sociais, alguns parlamentares reagiram de maneiras diferentes. Medeiros fez posts no Twitter pedindo a discussão no Senado de uma PEC, apresentada por Davi Alcolumbre (DEM-AL), de “modernização da urna eletrônica”. 

Segundo ele, a proposta já foi aprovada na Câmara está parada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. 

Nelson Barbudo disse, em posts no Facebook, “amargar a derrota” e atribuiu o resultado a uma “derrota para democracia”. Ele publicou uma lista de deputados federais que votaram contra a PEC em seu perfil. 

Rosa Neide afirmou o oposto. Segundo ela, o assunto foi “enterrado” e “venceu a democracia”. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá: vereador diz que gabinete do prefeito mudou pregão e favoreceu Norge Pharma
Próximo artigoAdolescente denuncia que está sendo estuprada pelo pai há quatro anos